1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE quer retomada do plano de paz no Oriente Médio

Encarregado de Relações Exteriores da União Européia apresenta planos para reativar processo de paz no Oriente Médio, exige planos concretos dos palestinos e adverte israel para que não impeça reformas.

default

Javier Solana apresenta propostas da UE para paz no Oriente Médio

Reunidos em Bruxelas, os chefes de Estado e de governo da União Européia (UE) sugeriram ações concretas para impulsionar o processo de paz no Oriente Médio e para a concretização de um Estado Palestino independente.

Num documento elaborado por Javier Solana, encarregado de Relações Exteriores da União Européia, e divulgado nesta sexta-feira (05/11), o bloco advertiu para a necessidade de reativar o plano internacional de paz (Road Map). "Está se fechando rapidamente a janela para a criação de dois Estados (Israel e Palestina)", advertiu Solana, segundo o qual "o processo de paz enfrenta uma perigosa fase de paralisação".

Aproveitar oportunidade estratégica

Encerrada a eleição presidencial nos Estados Unidos, a União Européia espera agora um maior engajamento de Washington no Oriente Médio. O plano de paz, elaborado pela União Européia, Rússia, Estados Unidos e Nações Unidas, prevê a criação de um Estado palestino em 2005, com o reconhecimento de Israel. A decisão do premiê israelense Ariel Sharon de desocupar a Faixa de Gaza é uma "oportunidade estratégica" que deve ser integrada ao processo de paz, salientou Solana.

No documento elaborado por Javier Solana, a União Européia pretende, já em janeiro e em cooperação com o Egito, iniciar um programa para a reforma da polícia palestina e apoiar a organização de eleições "que obedeçam a padrões internacionais". Ao mesmo tempo, os europeus esperam um maior engajamento e planos concretos do lado palestino. Israel, por seu lado, não deve impedir as reformas palestinas, advertiu o chefe da diplomacia da EU.

Leia mais