UE quer acirrar regras de deportação | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 23.05.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE quer acirrar regras de deportação

Imigrantes irregulares poderão permanecer, futuramente, até 18 meses em retenção para fins de expulsão em toda a UE. Ativistas de direitos humanos criticam a possível lei como "diretiva da vergonha".

default

Celas de retenção em Berlim

Os embaixadores dos 27 Estados-membros da União Européia entraram em acordo, na quinta-feira (22/05) em Bruxelas, sobre uma "diretiva de repatriação" que possibilita a prisão, devido ao perigo de fuga, de imigrantes que tiveram seu pedido de asilo negado, por um período de até 18 meses.

Após meses de negociações, a nova lei prevê que, em regra, o período máximo de retenção para fins de expulsão deverá durar seis meses, mas poderá ser prolongado para até um ano e meio, caso "a repatriação se atrase devido à falta de cooperação" do interessado ou por problemas de identificação de sua nacionalidade.

Sem orientação jurídica

Em oito Estados-membros da UE, a duração da retenção já está de acordo com as novas regras. Em alusão à nova lei, o novo governo italiano de Silvio Berlusconi anunciou na quarta-feira um aumento do período de prisão de dois para 18 meses.

Antes do consenso, a Alemanha conseguiu impor mais um ponto de intensificação da nova lei, pelo qual imigrantes detidos não terão direito a ajuda legal gratuita, caso tentem impedir legalmente sua deportação. O governo alemão teme um conflito com o condigo de processo penal do país. A diretiva deve ainda ser aprovada pelos ministros do Interior da UE como também pelo Parlamento Europeu, o que deve acontecer em junho próximo.

Comissão da UE se defende

A Comissão da União Européia rebateu críticas de ativistas de direitos humanos à planejada lei de deportação européia. Seria totalmente errado falar de uma "diretiva da vergonha", comentou um porta-voz das autoridades de Bruxelas na quinta-feira.

"Trata-se de uma diretiva da credibilidade da toda a nossa política migratória", afirmou, acrescendo que somente após colocar os imigrantes irregulares sob ameaça de deportação poderão ser abertos caminhos legais para a Europa.

Principalmente devido à duração de até 18 meses do período de retenção, organizações de refugiados e ativistas de direitos humanos criticaram duramente o plano da UE.

Leia mais