UE manifesta apoio a partido pró-europeu sérvio | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 11.03.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE manifesta apoio a partido pró-europeu sérvio

Os ministros de Relações Exteriores da União Européia manifestam apoio ao partido pró-europeu do presidente Boris Tadic para as eleições de maio na Sérvia.

default

Steinmeier espera que sérvios 'optem por caminho europeu'

Os ministros de Relações Exteriores da União Européia (UE) disseram não ver alternativas ao Partido Democrático (DS) na eleição para o governo da Sérvia em 11 de maio. Segundo vários ministros reunidos em Bruxelas, o partido é a única esperança de uma relação sólida do país com a União Européia.

O primeiro-ministro Vojislav Kostunica havia renunciado no sábado (08/03), depois da ruptura da coalizão de seu Partido Democrata da Sérvia (DSS) com o DS por não chegarem a um consenso sobre uma política em relação à União Européia.

O ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, voltou a manifestar apoio ao presidente Boris Tadic, eleito presidente da Sérvia em fevereiro, e disse esperar das eleições parlamentares que "na tensa situação atual a maioria dos sérvios opte pelo caminho europeu".

Kosovo é o ponto da discórdia

Observadores políticos vêem dificuldades na formação de um novo governo, pois nenhum dos partidos deverá obter maioria absoluta na votação parlamentar antecipada. Nem está certo que o futuro governo tome os rumos pró-europeus esperados por Bruxelas, pois mesmo o presidente Tadic é contra a independência do Kosovo.

A União Européia propôs a Belgrado várias opções de cooperação e estaria até mesmo disposta a abrir mão da condição que impõe para assinar o Acordo de Estabilização e Associação: a prisão do ex-general Radko Mladic, suposto criminoso de guerra, que continua em liberdade. Até o momento, a Sérvia vem recusando todas as ofertas da UE em função do Kosovo.

Na opinião de Steinmeier, este quadro não deve mudar até a eleição de maio próximo. O ministro alemão disse ainda temer, durante a campanha eleitoral sérvia, tons nacionalistas e o aumento da tensão no país.

Kosovares podem votar na Sérvia?

O norte do Kosovo é habitado predominantemente por kosovares de ascendência sérvia, que se negam a colaborar com a administração em Pristina. Este grupo não deveria participar da eleição na Sérvia, por integrar agora a população do Kosovo, defendeu Steinmeier.

Para Belgrado, no entanto, a eleição tem de ser realizada também em todo o Kosovo, pois do ponto de vista sérvio a região ainda faz parte do país. Enquanto isso, 20 pessoas da missão policial e civil da União Européia já iniciaram seus trabalhos no Kosovo. Nos próximos meses, este contingente atingirá 1800 pessoas e substituirá a atual administração das Nações Unidas.

O novo Estado já foi reconhecido por 16 dos 27 países da União Européia. Cinco países-membros do bloco anunciaram que por enquanto não pretendem reconhecer a soberania do Kosovo: Espanha, Grécia, Romênia, Chipre e Eslováquia.

Leia mais