1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

UE facilita comércio com países em desenvolvimento

União Européia cria portal para agilizar comércio com Terceiro Mundo. O total comercializado entre 49 países em desenvolvimento e a UE soma 2,2 milhões de euros por ano.

default

Novas oportunidades para o Terceiro Mundo

Na teoria, existe uma base sólida para as relações comerciais entre a União Européia (UE) e os países em desenvolvimento, mas há dificuldades práticas no processo de venda. Um portal na internet vem para tentar modificar esta realidade.

Facilidade, rapidez e precisão são algumas das vantagens do comércio online. Somente com alguns cliques, torna-se possível a melhor rota comercial para a Europa. Para pesquisar na máquina de busca do portal Expanding Exports Helpdesk, o fabricante interessado em exportar um produto informa que mercadoria produz e o país de procedência.

Cláusulas prioritárias e isenção de tarifas

A partir daí, o computador mostra uma lista de taxas alfandegárias que incidem sobre o produto em questão. No caso de uma camiseta de algodão de um país como Bangladesh, não é cobrado imposto.

Normalmente, a taxação seria de 12%, como no caso de uma camiseta dos Estados Unidos. Entretanto, Bangladesh faz parte de um grupo de 178 países, para os quais a União Européia estabelece tarifas especiais, com cláusulas de facilidades ou isenção de tarifas alfandegárias.

Seguindo outros links, o fabricante ou produtor pode acessar os formulários alfandegários para impressão. Outro aspecto importante da comercialização são os formulários de certificado de origem dos produtos e as condições para a obtenção de taxas de importação mais baixas.

Abrindo mercados para os pobres

Atualmente, a UE está negociando acordos especiais com 79 países da África, do Caribe e regiões do Pacífico. O total comercializado entre a União Européia e os 49 países mais pobres do planeta soma 2,2 milhões de euros por ano. Visando proporcionar a abertura de mercado para este grupo de nações, foi oferecido há três anos um programa que lhes permite exportar, livres de taxação, todos os tipos de mercadorias à UE, exceto armas.

O comissário de Comércio da União Européia, Pascal Lamy, informou que o portal deve ser ampliado com novos módulos no próximo ano. Desta maneira, se conseguirá um banco de dados eletrônico, com o máximo de informações gratuitas à disposição do comerciante, inclusive quando o acesso à internet nos países em desenvolvimento não é tão disseminado como no hemisfério norte. "A via digital é mais estreita que a postal", observa Lamy.

Leia mais

Links externos