1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE e EUA condenam ataques a embaixadas em Belgrado

Comissão Européia classifica como inaceitável os atos de violência na capital da Sérvia. Corpo carbonizado é encontrado na embaixada dos Estados Unidos. Representação da Alemanha também foi atingida.

default

Pedestres observam carro incendiado diante da embaixada americana em Belgrado

A União Européia (UE) e os Estados Unidos condenaram com veemência nesta sexta-feira (22/02) os ataques às embaixadas de diversos países ocorridos na noite de quinta-feira em Belgrado, durante um protesto contra a independência do Kosovo.

Segundo a polícia sérvia, uma pessoa morreu e em torno de 130 ficaram feridas durante os ataques, direcionados contra oito embaixadas e cerca de 90 estabelecimentos comerciais. A polícia deteve em torno de 200 pessoas.

Além do prédio da representação diplomática americana, que foi parcialmente incendiado, ocorreram ataques contra as embaixadas da Alemanha, da Croácia, da Bélgica, do Reino Unido, da Bósnia-Herzegóvina, do Canadá e da Turquia.

União Européia

"Respeitamos o direito democrático do povo sérvio de protestar, mas expressar sua opinião com violência é inaceitável", afirmou o comissário de Ampliação da UE, Olli Rehn. O chefe da diplomacia da União Européia, Javier Solana, também condenou os ataques. "Atos de violência como esses não levam a lugar algum", afirmou.

Kosovo US Botschaft in Belgrad brennt

Embaixada americana é incendiada em Belgrado

Solana defendeu a continuidade do processo de aproximação entre a União Européia e a Sérvia. "Creio que as pessoas na Sérvia sabem que têm uma perspectiva européia. A Sérvia tem um lugar na família européia", disse após um encontro de ministros da Defesa em Brdo, na Eslovênia.

Também a Alemanha condenou a violência em Belgrado. "O governo alemão considera intoleráveis e condena com veemência os distúrbios", afirmou o vice-porta-voz Thomas Steg. Ele acrescentou que é obrigação do governo sérvio zelar pela segurança e integridade das embaixadas e dos diplomatas, usando para isso a força policial que for necessária. Steg afirmou que novos casos de violência afetariam as relações entre a União Européia e a Sérvia.

Governo sérvio

O primeiro-ministro da Sérvia, Vojislav Kostunica, elogiou a "juventude do país", que teria demonstrado estar do lado do direito, da justiça e da liberdade ao tomar parte da manifestação de quinta-feira. Ele disse que principalmente os jovens mostraram ser contra a "política de violência" dos países ocidentais.

Mas o presidente sérvio, Boris Tadic, condenou os distúrbios e afirmou que eles não podem ser justificados de forma alguma e por ninguém. "Isso não foi a Sérvia e a Sérvia jamais será assim", afirmou. Ele solicitou uma reunião de emergência do Conselho Nacional de Segurança para analisar a situação do país.

Kosovo Polizisten vor der US-Botschaft in Belgrad

Polícia chegou duas horas depois do início dos distúrbios

O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, classificou as declarações de Kostunica como "totalmente inadequadas". Para ele, distúrbios como os ocorridos em Belgrado são intoleráveis.

Estados Unidos

O governo dos Estados Unidos reagiu com indignação ao ataque à sua embaixada em Belgrado. O porta-voz do Departamento de Estado, Sean McCormack, disse que o governo americano deixou claro aos dirigentes sérvios que eles seriam "pessoalmente responsabilizados" caso cidadãos americanos tivessem sido atingidos.

Um corpo carbonizado foi encontrado dentro da embaixada americana em Belgrado após os distúrbios. Segundo o governo dos Estados Unidos, não se trata de um cidadão americano, mas provavelmente de uma pessoa que participou do ataque.

McCormack disse que o governo americano também protestou contra a demora das forças de segurança sérvias, que chegaram ao prédio da embaixada americana apenas duas horas após o início dos distúrbios.

Leia mais