UE e Alemanha oferecem ajuda à China após terremoto | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 12.05.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE e Alemanha oferecem ajuda à China após terremoto

Tremor de 7,8 graus na escala Richter causa a morte de milhares de pessoas na província chinesa de Sichuan. É o pior terremoto em 32 anos.

default

Equipes de resgate procuram por estudantes desaparecidos após desabamento de escola

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, ofereceu nesta segunda-feira (12/05) ajuda imediata ao governo da China após o terremoto que matou milhares de pessoas na província de Sichuan, no sudoeste do país asiático. Por meio de um porta-voz, o governo alemão também manifestou seu pesar ao povo chinês.

Também a União Européia (UE) disse estar pronta a oferecer auxílio. "Podemos ajudar caso seja necessário", afirmou nesta segunda-feira o comissário de Desenvolvimento e Ajuda Humanitária da UE, Louis Michel, em Bruxelas. O Gabinete de Ajuda Humanitária da Comissão Européia (Echo) está em contato com a Cruz Vermelha chinesa, disse Michel.

O pior terremoto registrado na China nos últimos 32 anos causou a morte de ao menos 8.533 pessoas, segundo uma contagem preliminar divulgada pela agência de notícias Xinhua. O número de vítimas deve aumentar, pois as equipes de resgate ainda não conseguiram chegar a várias regiões atingidas.

Estudantes soterrados

Erdbeben in China Menschen in Trümmern

Sobreviventes vasculham os escombros em Dujiangyan

O epicentro do tremor de 7,8 graus na escala Richter foi localizado na localidade de Wenchuan, a cerca de 100 quilômetros de Chengdu, capital da província de Sichuan. O sismo foi registrado às 14h28 locais, ou 3h28 de Brasília.

Apenas na localidade de Beichuan, o número de mortos é estimado entre 3 mil e 5 mil. Cerca de 80% das construções desabaram e 10 mil pessoas ficaram feridas. A população de Beichuan é de 160 mil habitantes.

A Xinhua divulgou que cerca de 900 estudantes podem estar presos entre os escombros de uma escola que desabou na cidade de Dujiangyan, também na província de Sichuan.

Construções olímpicas não foram danificadas

Tremores de terra foram sentidos em várias cidades da China, incluindo a capital Pequim, Xangai e Hong Kong, e fez com que inúmeros edifícios fossem evacuados. Também na região de Bangcoc, na Tailândia, e em Taiwan foram registrados tremores.

Erdbeben in China Beijing

Pessoas deixam prédios em Pequim após terremoto

Os edifícios construídos para os Jogos Olímpicos não foram danificados, disse um porta-voz do comitê organizador. De acordo com ele, os edifícios têm um alto nível de resistência a sismos e não sofreram qualquer tipo de dano.

O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, classificou o tremor como um enorme desastre e pediu calma aos chineses. Ele já se deslocou à região mais afetada.

Em julho de 1976, um terremoto na cidade chinesa de Tangshan causou a morte de 242 mil pessoas.

Leia mais