1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE diminui restrições ao transporte de líquidos em bagagem de mão

Passageiros de voos comerciais na Europa podem levar em suas bagagens de mão apenas pequenas quantidades de líquidos. Mas a partir de fevereiro de 2014, União Europeia iniciará o relaxamento gradual dessas limitações.

Um dos desconfortos das viagens aéreas na Europa é a proibição do transporte de líquidos por parte dos passageiros, aos quais é permitido somente carregar pequenas quantidades – até 100 ml – em suas bagagens de mão.

No entanto, as regras da proibição na União Europeia serão relaxadas a partir de 31 de janeiro de 2014. Se tudo correr bem, essa poderá ser a etapa inicial da abolição dessas regulamentações.

Dale Kidd, porta-voz do comissário europeu dos Transportes, Siim Kallas, afirmou que as mudanças marcadas para o fim de janeiro são, na verdade, ainda modestas. A nova medida se aplica aos passageiros que chegam de fora da UE ou aos que fazem conexão em aeroportos da Europa.

Os viajantes poderão transportar a bordo dos voos intraeuropeus recipientes contendo líquidos, como sprays ou cremes, comprados em aeroportos de países terceiros. Os itens precisarão ser embalados em sacos plásticos selados.

Aqueles considerados essenciais, como medicamentos ou comidas de bebês, continuam sendo permitidos a bordo das aeronaves.

As proibições ao transporte de líquidos em aeronaves comerciais foram introduzidas em 2006, após três terroristas tentarem carregar explosivos armazenados em garrafas de bebida a bordo de voos transatlânticos.

Eliminação completa das restrições até 2016

Caso o relaxamento das restrições ao transporte de líquidos em voos comerciais não traga maiores consequências, reduções ainda mais significativas poderão vir no futuro próximo.

De acordo com Dale Kidd, o impacto dessa medida inicial será avaliado, o que poderá resultar em futuras etapas ainda mais avançadas nesse processo. "Isso deverá levar à eliminação completa das restrições aos líquidos até 2016", afirmou.

RC/dpa/afp

Leia mais