1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE busca solução consensual para status do Kosovo

Países da UE tentam manter unidade e buscam solução consensual para o futuro do Kosovo. Steinmeier propõe negociações por um trio formado por EUA, Rússia e UE. Kosovo promete não declarar independência unilateralmente.

default

Soldado alemão que integra as tropas da Otan em Prizren, no Kosovo

O Grupo de Contato sobre o Kosovo, formado pelos EUA, a Rússia e quatro países europeus (Alemanha, Reino Unido, França e Itália), discute a partir desta quarta-feira (25/07), em Viena, os próximos passos para definir o futuro estatuto da província sérvia, depois que Moscou vetou uma resolução da ONU sobre a independência da região.

O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, sugeriu que um trio formado pelos EUA, a Rússia e um representante da UE tente convencer o governo sérvio e os separatistas do Kosovo a encontrar uma solução consensual para o conflito.

Ele disse ter amplo apoio à sua proposta, que representaria "um formato internacional eficiente para tais negociações". Steinmeier fez um apelo a Moscou para que participe de forma construtiva das conversações, previstas para um período de 120 dias. No Grupo de Contanto, a Rússia não tem direito a veto.

Reunidos nesta segunda-feira em Bruxelas, os ministros das Relações Exteriores da UE, porém, não chegaram a um acordo sobre como o bloco participará das negociações. "Tanto uma troica formada pelos EUA, a UE e a Rússia quanto conversações no chamado Grupo de Contato são possíveis", disse o ministro das Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner.

Plano Ahtisaari

Frank-Walter Steinmeier skeptisch

Steinmeier defende negociação por um trio

O ministro sueco das Relações Exteriores, Carl Bildt, um dos nomes cotados para conduzir as negociações em nome da UE, disse que "manter a unidade da União Européia é absolutamente indispensável para nossa credibilidade em longo prazo, tanto nos Bálcãs como no restante do mundo".

"Queremos dar uma nova chance às negociações e ver como conseguimos fazer isso com os EUA e a Rússia", disse o chefe da diplomacia européia, Javier Solana. "Vamos apelar a Belgrado e a Pristina para que se engajem nesse processo", acrescentou.

A Rússia e a Sérvia rejeitam a proposta do mediador da ONU, Martti Ahtisaari, de "independência vigiada" para o Kososo. Steinmeier e Kouchner deixaram claro que o plano Athisaari deve servir de base para as negociações. Pelo direito internacional, o Kosovo pertence à Sérvia, mas desde 1999 é administrado pela ONU e protegido por tropas da Otan.

Durante um encontro com a secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, em Washington, uma delegação do Kosovo garantiu na segunda-feira que não declará unilateralmente a independência, como vinha planejando.

O governo sérvio aprovou nesta segunda-feira uma declaração segundo a qual o Kosovo é "parte inseparável do país", o que deve frear o otimismo em relação a uma solução rápida do conflito. (gh)

Leia mais