UE busca solução consensual para status do Kosovo | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 24.07.2007
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE busca solução consensual para status do Kosovo

Países da UE tentam manter unidade e buscam solução consensual para o futuro do Kosovo. Steinmeier propõe negociações por um trio formado por EUA, Rússia e UE. Kosovo promete não declarar independência unilateralmente.

default

Soldado alemão que integra as tropas da Otan em Prizren, no Kosovo

O Grupo de Contato sobre o Kosovo, formado pelos EUA, a Rússia e quatro países europeus (Alemanha, Reino Unido, França e Itália), discute a partir desta quarta-feira (25/07), em Viena, os próximos passos para definir o futuro estatuto da província sérvia, depois que Moscou vetou uma resolução da ONU sobre a independência da região.

O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, sugeriu que um trio formado pelos EUA, a Rússia e um representante da UE tente convencer o governo sérvio e os separatistas do Kosovo a encontrar uma solução consensual para o conflito.

Ele disse ter amplo apoio à sua proposta, que representaria "um formato internacional eficiente para tais negociações". Steinmeier fez um apelo a Moscou para que participe de forma construtiva das conversações, previstas para um período de 120 dias. No Grupo de Contanto, a Rússia não tem direito a veto.

Reunidos nesta segunda-feira em Bruxelas, os ministros das Relações Exteriores da UE, porém, não chegaram a um acordo sobre como o bloco participará das negociações. "Tanto uma troica formada pelos EUA, a UE e a Rússia quanto conversações no chamado Grupo de Contato são possíveis", disse o ministro das Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner.

Plano Ahtisaari

Frank-Walter Steinmeier skeptisch

Steinmeier defende negociação por um trio

O ministro sueco das Relações Exteriores, Carl Bildt, um dos nomes cotados para conduzir as negociações em nome da UE, disse que "manter a unidade da União Européia é absolutamente indispensável para nossa credibilidade em longo prazo, tanto nos Bálcãs como no restante do mundo".

"Queremos dar uma nova chance às negociações e ver como conseguimos fazer isso com os EUA e a Rússia", disse o chefe da diplomacia européia, Javier Solana. "Vamos apelar a Belgrado e a Pristina para que se engajem nesse processo", acrescentou.

A Rússia e a Sérvia rejeitam a proposta do mediador da ONU, Martti Ahtisaari, de "independência vigiada" para o Kososo. Steinmeier e Kouchner deixaram claro que o plano Athisaari deve servir de base para as negociações. Pelo direito internacional, o Kosovo pertence à Sérvia, mas desde 1999 é administrado pela ONU e protegido por tropas da Otan.

Durante um encontro com a secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, em Washington, uma delegação do Kosovo garantiu na segunda-feira que não declará unilateralmente a independência, como vinha planejando.

O governo sérvio aprovou nesta segunda-feira uma declaração segundo a qual o Kosovo é "parte inseparável do país", o que deve frear o otimismo em relação a uma solução rápida do conflito. (gh)

Leia mais