UE aumenta recursos destinados à ajuda humanitária ao Paquistão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 20.08.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE aumenta recursos destinados à ajuda humanitária ao Paquistão

Vários países do mundo concordaram, durante Assembleia Geral da ONU, em aumentar as doações às vítimas das enchentes no Paquistão. A União Europeia irá disponibilizar 140 milhões de euros para o país.

default

Vítimas das indundações: situação crítica

As verbas destinadas ao governo do Paquistão poderão passar dos 110 milhões previstos para 140 milhões de euros, segundo informou Steven Venackere, ministro belga das Relações Exteriores, sobre as doações da União Europeia (UE).

Além disso, UE pretende liderar uma conferência internacional em prol das vítimas das inundações no Paquistão, agendada para outubro próximo, em Bruxelas.

O Reino Unido também duplicou o valor dos recursos destinados às vítimas paquistanesas das enchentes, que receberão de Londres aproximadamente 78 milhões de euros.

Berlim pretende prestar ajuda a longo prazo

Dossierbild Pakistan Flut 3

Enchentes deixaram 4 milhões de desabrigados

O governo alemão havia anunciado anteriormente que irá aumentar a ajuda imediata ao governo paquistanês com mais 10 milhões de euros, num total de 25 milhões.

A Alemanha participa ainda de pacotes internacionais de ajuda ao país, disponiblizando ao todo 68 milhões de euros, segundo infomações oficiais de Berlim.

Werner Hoyer, do ministério alemão do Exterior, afirmou em Nova York nesta quinta-feira (19/08), por ocasião da Assembleia Geral da ONU, que a Alemanha pretende se empenhar na ajuda à reconstrução do Paquistão em projetos de longo prazo. Segundo ele, Berlim desenvolveu uma "parceria sólida" com o país.

De acordo com informações do governo paquistanês, 20 milhões de pessoas necessitam no momento de alojamento, água potável e alimentos. Segundo a ONU, as inundações deixaram mais de quatro milhões de desabrigados. Centenas de localidades ficaram isoladas em função das enchentes e diversas estradas e pontes intransitáveis. O medo da disseminação de epidemias cresce a cada dia.

Autor: Reinhard Kleber (sv)
Revisão: Nádia Pontes

Leia mais