1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE aprova operação naval contra traficantes no Mediterrâneo

Ministros do Exterior da União Europeia dão aval a missão para combater redes de tráfico de refugiados. Submarinos e drones começam a operar em uma semana no espaço aéreo e em águas internacionais.

Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia (UE) aprovaram nesta segunda-feira (22/06) o início de uma operação naval contra o tráfico de pessoas no mar Mediterrâneo. Mais de 2 mil migrantes morreram ou desapareceram neste ano ao tentarem fazer a perigosa travessia em direção à Europa.

A operação, que é dividida em três fases, será realizada em águas internacionais e no espaço aéreo até que a UE consiga autorização para entrar em território líbio, de onde parte a maioria dos barcos clandestinos. Mais de 100 mil migrantes entraram na Europa apenas neste ano, principalmente pela Itália e pela Grécia.

"Há coisas que podemos fazer em águas internacionais que já podem começar agora", disse a chefe de política externa do bloco, Federica Mogherini, durante reunião com os ministros em Luxemburgo. "O objetivo é atacar os traficantes e desmantelar o modelo de negócios que eles criaram."

Os primeiros navios, submarinos, aviões patrulha e drones europeus devem começar a operar em uma semana. O trabalho inicial consiste na coleta de informações sobre os contrabandistas e suas atividades. Nas fases seguintes, pode culminar na apreensão e até destruição de barcos em alto mar ou em terra. A missão prevê o resgate de migrantes em alto mar, conforme as leis internacionais.

Representantes da UE buscam o apoio de autoridades líbias e das Nações Unidas. Uma vasta abrangência da operação naval depende de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU.

A operação faz parte dos esforços da UE para conter a crise de migração para o bloco, que inclui uma possíveis mudanças na política de acolhida a refugiados.

KG/afp/dpa

Leia mais