1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

UE apresenta à OMC lista de sanções contra EUA

A União Européia pretende cobrar sobretaxas de até 100% sobre produtos norte-americanos, em represália às sobretaxas que Washington fixou contra o aço que vários países exportavam para os EUA.

default

Siderúrgica no País de Gales

A Comissão Européia, órgão executivo da UE, apresentou à Organização Mundial do Comércio (OMC) uma lista das sanções que pretende impor a mercadorias importadas dos EUA, por conta da guerra comercial do aço. A lista, que poderá entrar em vigor em 18 de junho, especifica tecidos e produtos norte-americanos de aço. A UE pretende cobrar sobretaxas de 100%, no total de 378 milhões de euros, informou a Comissão Européia, nesta terça-feira (14), em Bruxelas. Os 15 membros da União Européia têm que aprová-las, para que elas possam entrar em vigor.

Também foi apresentada uma segunda lista, com sanções no valor de 606 milhões de euros. Esta é de sobretaxas de 8% a 30% e entrará em ação, caso a comissão de arbitragem da OMC considere ilegal as sobretaxas adotadas por Washington. Não se espera uma decisão antes de 2003.

EUA dispararam o primeiro tiro na guerra do aço

Os Estados Unidos desencadearam a "guerra do aço" em março, com a cobrança de sobretaxas de até 30%, que prejudicaram uma série de países, entre eles o Brasil e a Alemanha. A União Européia considera a medida injustificada e estima em 2,4 bilhões de dólares o prejuízo para a sua indústria. Bruxelas, porém, se dispõe a abrir mão das represálias, se os EUA oferecerem uma compensação para as suas sobretaxas.

Desta segunda lista constam produtos como cítricos, arroz, camisetas, confecção masculina e feminina, roupa de cama, móveis de bilhar e para cassinos, além de produtos de aço. No final de março, a UE decretara salvaguardas, sob a forma de sobretaxas de até 26%, na tentativa de impedir a inundação do mercado europeu principalmente pelo aço "excedente", que já não encontra colocação no mercado americano.

Links externos