1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE ajuda Portugal no combate ao fogo

Alemanha está entre os países europeus que prestarão apoio no combate aos incêndios em Portugal. Fogo continua se alastrando na Península Ibérica.

default

Moradores combatem as chamas em Loulé, no sul de Portugal

Todos os anos, no verão europeu, é a mesma rotina. Também em 2004 os incêndios assolam Portugal, França e Espanha. Com o aumento do turismo em massa, o fogo, muitas vezes de origem criminosa (supõe-se que é motivado pela especulação imobiliária), ameaça não só a vida humana, a flora, a fauna, como também as propriedades.

O forte calor, de até 44ºC, e os ventos favorecem o alastramento do fogo até próximo das grandes cidades. Cerca de dois mil bombeiros e soldados ocupam-se no momento com 30 focos de incêndio. Vários países da União Européia, entre os quais a Alemanha, estão enviando aviões de combate a incêndio.

Evacuação de turistas

Na França e na Espanha, estão sendo destruídos principalmente matas e bosques. Nas proximidades da francesa Nimes, duas auto-estradas tiveram de ser fechadas e várias casas foram evacuadas. O número de mortos por causa do calor na Espanha subiu para 12.

Em Portugal, as regiões mais atingidas são a Serra de Monchique — cadeia montanhosa cheia de bosques de castanheiros e campos de flores silvestres — e as proximidades do Parque Nacional da Arrábida, no sudeste de Lisboa. O fogo provocou o fechamento de praias e a evacuação de áreas turísticas.

Na Serra de Monchique, conhecida por suas fontes naturais, participam da operação antiincêndio mais de 150 bombeiros e dois helicópteros especiais. Fontes da defesa civil queixam-se de que a região ao norte de Portimão é de difícil acesso, o que não permite um combate eficaz à muralha de fogo. Regiões turísticas, entretanto, ainda não foram atingidas, anunciaram os bombeiros.

As chamas também voltaram a arder no Parque Nacional da Arrábida, onde o fogo já havia consumido 800 hectares de valiosas reservas ecológicas. Ecologistas e autoridades locais criticam o governo por não ter tomado providências para evitar uma nova catástrofe, já que no ano passado o país viveu a pior onda de incêndios de sua história.

Pedido de ajuda à União Européia

Portugal Waldbrände Hitzewelle Wetter Löschflugzeug Feuerwehr Brandbekämpfung

Europeus ajudarão Portugal com aviões de combate ao fogo

Lisboa respondeu aos críticos alegando falta de dinheiro e de pessoal para o trabalho preventivo. Em vista do rápido alastramento da parede de fogo, Portugal solicitou apoio à União Européia. Em resposta, Grécia, Itália, Espanha e França prometeram enviar aviões de combate a incêndio. Ajuda virá também da Bélgica, Grã-Bretanha, Noruega e Alemanha, que ofereceu oito helicópteros.

Na Espanha, já foram destruídos mil hectares de matas e bosques nas proximidades de Ourense e em Huelva. A situação também é grave na França. Mais de 250 bombeiros estão apagando as labaredas, mas não conseguiram evitar a destruição de mais de 600 hectares de bosques nos últimos dias. No final de semana, o fogo consumiu mais de 2500 hectares de matas e bosques ao norte de Marselha.

Leia mais