UE afrouxa controle estético de alimentos | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 01.07.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

UE afrouxa controle estético de alimentos

Produtores não correm mais o risco de terem frutas e verduras barradas pela UE. Após 20 anos de controle, europeus podem voltar a comprar pepinos tortos e cenouras imperfeitas em supermercados.

default

Pepino torto pode voltar a ser vendido na UE

Até a terça-feira (30/06), uma série de exigências da Comissão Europeia quanto à forma e ao tamanho dos alimentos impedia os vegetais com aparência pouco atraente de chegarem aos consumidores.

Criada com o intuito de ajudar os consumidores a comparar frutas e verduras nos diferentes supermercados de toda a União Europeia (UE), a seletividade imposta pelo bloco acabou se tornando um tormento para os produtores, que viam parte de sua produção sendo desperdiçada por uma mera questão de estética.

Em novembro de 2008, os 27 países-membros da UE decidiram rever essas regras. "Não faz sentido jogar fora produtos perfeitos só porque eles têm formato e tamanho considerados errados", disse a comissária de Agricultura, Mariann Fischer Boel.

Seleção continua valendo para 75% dos alimentos

A partir desta quarta-feira (01/07), fica suspensa a seleção de 26 produtos segundo seus tamanhos e formas. Além do pepino e da cenoura, estão nesta lista vegetais como beringela, damasco, cereja, alho, melão e espinafre.

Outros dez alimentos continuam sujeitos ao processo seletivo. No entanto, a partir de agora, eles também podem ser comercializados, desde que tragam uma etiqueta informando os consumidores de deficiências de tamanho e forma.

Isso vale para frutas cítricas, maçãs, kiwis, alfaces, pêssegos, nectarinas, pêras, morangos, uvas e tomates, que juntos correspondem a 75% do comércio de frutas e verduras da União Europeia.

EH/Reuters/dpa/afp

Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais