1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Turquia vai se arrepender, afirma Putin

Presidente russo diz que não vai esquecer ataque a avião, mas descarta reação "nervosa e histérica". Erdogan afirma que é a Rússia, e não a Turquia, que compra petróleo do grupo extremista "Estado Islâmico".

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta quinta-feira (03/12) em Moscou que as lideranças da Turquia vão se arrepender de terem abatido um avião de guerra russo. Ele disse que não esquecerá o ataque da Turquia ao bombardeiro SU-24, que chamou de "crime de guerra", mas ressalvou que a Rússia não recorrerá às armas em resposta.

"Não esperem uma reação nervosa e histérica, perigosa para nós mesmos e para o resto do mundo", afirmou Putin, indicando que a resposta russa ao incidente não se limitará às sanções econômicas anunciadas esta semana contra a Turquia, que incluem o fechamento do mercado russo para produtos alimentares turcos.

"Se alguém pensa que, depois de cometer crimes de guerra hediondos, o assassinato da nossa gente, isso lhe custará apenas uns tomates e limitações na construção e em outros setores, está profundamente enganado", afirmou Putin.

Em discurso sobre o estado da nação, diante do Parlamento em Moscou, Putin insistiu nesta quinta-feira na acusação de que a Turquia "está enchendo os bolsos com petróleo roubado" na Síria e no Iraque, numa alusão a Erdogan e sua família. As autoridades turcas chamam a acusação de "propaganda soviética".

O presidente russo disse não compreender as razões que levaram as autoridades turcas a ordenar a derrubada do avião russo. Segundo o governo em Ancara, a aeronave violou o espaço aéreo turco ao sobrevoar a fronteira turco-síria. "Só Alá saberá por que o fizeram. Parece que Alá decidiu castigar o bando de governantes da Turquia, acabando com a sensatez deles", declarou Putin, num discurso acompanhado também pelas viúvas do piloto russo abatido e de um soldado que morreu nas operações de resgate.

Em Ancara, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse que ele tem provas do envolvimento da Rússia no comércio ilegal de petróleo, rebatendo as acusações russas de que a sua família estaria comprando o produto do grupo terrorista "Estado Islâmico". "Temos a prova nas mãos. Vamos revelá-la para o mundo", declarou em discurso transmitido pela televisão.

Gasoduto é suspenso

Em meio ao confronto verbal, Rússia e Turquia suspenderam as negociações para a construção conjunta de um gasoduto que ligará a Rússia à Turquia e ao sul da Europa, conhecido como TurkStream. O anúncio foi feito em Moscou pelo ministro russo da Energia, Alexander Novak.

O projeto TurkStream prevê a construção de quatro gasodutos para transportar o gás natural russo através do Mar Morto, ligando o sul da Rússia ao oeste da Turquia e permitindo a Moscou contornar a Ucrânia, país com quem os russos também estão em conflito, para abastecer a Europa. Putin anunciara a construção do gasoduto em dezembro de 2014.

AS/lusa/afp

Leia mais