1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Migração

Turquia nega acordo com UE sobre crise migratória

Ancara afirma que plano de ação comum, anunciado por líderes da União Europeia, não passa de um "esboço" e critica ajuda financeira oferecida pelos europeus para o atendimento aos refugiados.

default

Criança síria num campo de refugiados na cidade de Adana, na Turquia

Após líderes europeus declararem que teriam fechado um acordo com a Turquia sobre a crise migratória, o governo em Ancara negou nesta sexta-feira (16/10) ter chegado a um consenso com a União Europeia (UE) e afirmou que o plano de ação comum é apenas um "esboço".

O ministro turco do Exterior, Feridun Sinirlioglu, criticou ainda a ajuda financeira sugerida pelo bloco, a qual chamou de "inaceitável". Em troca de colaboração na crise migratória, a Turquia pede 3 bilhões de euros. A União Europeia, porém, teria oferecido 1 bilhão de euros.

"Nós esperávamos mais da cúpula da UE", escreveu no Twitter Sinirlioglu, que representou a Turquia na reunião, e acrescentou que o país está aberto a negociações. Na quinta-feira, após a cúpula,

líderes europeus afirmaram ter chegado a um acordo com Ancara

sobre um plano comum de ação para a crise de refugiados.

O acordo prevê a flexibilização da exigência de visto para cidadãos turcos e uma ajuda financeira em troca da colaboração da Turquia para conter o fluxo migratório em direção à Europa.

Turquia na União Europeia

Críticas à União Europeia também foram feitas nesta sexta-feira pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que aproveitou a ocasião para reiterar a adesão do país ao bloco. Ele afirmou que a Europa só percebeu agora que sua segurança e estabilidade dependem da Turquia.

"Se não funciona sem a Turquia, por que não aceitar a Turquia na União Europeia?", questionou Erdogan. Há uma década o governo turco e a UE negociam a adesão do país ao bloco, mas com frequência as negociações são paralisadas.

Erdogan também acusou a Europa de contribuir pouco financeiramente em cuidados com refugiados acolhidos em território turco. Segundo o presidente, enquanto a UE só repassou 366 milhões de euros, a Turquia já gastou mais de 7 bilhões de euros.

A Turquia, país vizinho da Síria, é, para os europeus, um parceiro-chave para conter o fluxo migratório que chega à Europa. Estima-se que cerca de 2 milhões de refugiados foram acolhidos em território turco.

CN/rtr/afp

Leia mais