1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Turquia corre contra o tempo para salvar mineiros; mortes já passam de 240

Equipes de busca estimam que cerca de 120 operários ainda estejam presos em mina, atingida por explosão e incêndio. Principal dificuldade nos trabalhos de resgate é a falta de ar a 150 metros de profundidade.

Subiu para 245 o número de mortos na explosão, seguida de um incêndio, que ocorreu na noite desta terça-feira (13/05) numa mina de carvão na cidade de Soma, 250 quilômetros ao sul de Istambul, na região ocidental da Turquia.

O balanço das vítimas foi atualizado pelo primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, nesta quarta-feira. De acordo com as autoridades, cerca de 120 mineradores ainda estariam presos na mina — o que pode ainda elevar os números da tragédia.

Assistir ao vídeo 01:16

Tragédia em mina de carvão na Turquia

Em pronunciamento em Soma, Erdogan afirmou que o acidente será investigado "nos mínimos detalhes" e que "nenhuma negligência será ignorada". Nesta quarta, o primeiro-ministro já havia declarado três dias de luto nacional.

Segundo o ministro da Energia, Taner Yildiz, 787 mineiros estavam no local no momento da explosão. Deles, mais de 400 foram resgatados com vida. Dos sobreviventes, 80 ficaram feridos — quatro deles em estado grave. O acidente teria ocorrido durante uma troca de turno, o que explicaria o grande número de operários no local.

Yildiz informou ainda que, segundo investigações iniciais, o fogo teria sido causado por uma falha elétrica, que desencadeou a explosão e, depois, um incêndio a 150 metros de profundidade. Grande parte das mortes foi provocada por envenenamento por monóxido de carbono, suspeitam as autoridades.

Cerca de 400 especialistas continuam com o trabalho de resgate. Sami Kilic, antigo trabalhador da mina e colaborador na busca por sobreviventes, afirmou à emissora CNN que o fornecimento de energia na mina é cortado em caso de explosão. Com isso, ventiladores deixam de funcionar e o fluxo de ar é interrompido.

"Ainda que as equipes de resgate levem máscaras, o trabalho será difícil. As máscaras que recebemos só nos oferecem cerca de 45 minutos de ar. Neste tempo, conseguimos avançar apenas um quilômetro e meio de profundidade", disse Kilic. Ele calcula que o número de mortos chegará a 400.

As explosões em minas de carvão são comuns na Turquia, principalmente no setor privado, que, em muitos casos, não respeita as regras de segurança. O acidente mais grave aconteceu em 1992, quando 270 mineiros perderam a vida em uma explosão de gás na mina de Zonguldak.

Türkei Explosion in Bergwerk Proteste

Em Istambul e outras cidades da Turquia, manifestantes foram às ruas contra os contínuos acidentes em minas

BWS/ap/dpa

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados