Trump revela seu plano para revitalizar economia | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 08.08.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Trump revela seu plano para revitalizar economia

Candidato republicano promete cortes drásticos de impostos e incentivos fiscais para as famílias. Discurso em Detroit é visto como tentativa de deixar para trás a mais díficil semana de sua campanha.

O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, apresentou nesta segunda-feira (08/08) propostas que, segundo ele, serão suficientes para revitalizar a economia americana. Em um discurso no Clube Econômico de Detroit, ele prometeu realizar uma reforma fiscal, um maciço corte de impostos, dar incentivos fiscais para as famílias e renegociar acordos comerciais internacionais firmados pelos EUA.

O discurso de Trump foi o primeiro desde que ele anunciou uma equipe de 13 conselheiros econômicos na última semana, e ocorre após a sua pior semana como candidato presidencial para as eleições de 8 de novembro.

O candidato está atrás de Hillary Clinton nas pesquisas após uma série de polêmicas, especialmente com os pais de um soldado muçulmano que morreu em 2004 no Iraque e depois de um desentendimento com líderes do Partido Republicano.

No discurso desta segunda, Trump propôs reduzir o número de impostos federais de sete para três, e diminuir o mais pesados dos tributos de 39,6% para 33%. Anteriormente, ele havia dito que essa taxa cairia para 25%, uma ideia que muitos especialistas em finanças disseram que acabaria reduzindo drasticamente a arrecadação do governo e aumentando o déficit.

"Vamos fazer os EUA crescerem de novo. Quero que empregos e riqueza fiquem no país", afirmou o candidato republicano. "Quero acordos comerciais que criem empregos para os EUA. Isolamento não é uma opção." Ele disse, ainda, que vai cancelar todas as "ordens executivas ilegais" implementadas pelo governo Barack Obama.

Trump declarou que, se chegar à presidência, vai retirar os EUA imediatamente do Acordo de Parceria Transpacífico (TPP), assinado com mais 11 países da costa do Pacífico, e renegociar o Tratado Norte-Americano de Livre-Comércio (Nafta), fechado com México e Canadá há duas décadas.

Durante o discurso, Trump aproveitou ainda para atacar a candidata presidencial do Partido Democrata, Hillary Clinton, que vai delinear seus planos para a economia na quinta-feira em Michigan. "Ela é a candidata do passado. A nossa campanha é do futuro", frisou o candidato republicano.

Em um comunicado divulgado antes do pronunciamento de Trump, a campanha de Hillary afirmou que o plano do republicano daria benefícios fiscais para ricos e grandes empresas, e iria prejudicar as famílias e desencadear uma recessão.

FC/rtr/efe/ap/afp

Leia mais