1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Tribunal sul-africano pede detenção de presidente do Sudão

Justiça da África do Sul proíbe Omar al-Bashir de deixar país, onde ele chegou para participar de cúpula. Chefe de Estado tem ordem de prisão emitida pelo Tribunal Penal Internacional.

Um tribunal em Pretória proibiu temporariamente neste domingo (14/06) que o presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, deixe a África do Sul, depois que o Tribunal Penal Internacional (TPI) pediu a detenção do chefe de Estado sudanês, que chegou neste sábado a Johanesburgo para participar de uma cúpula da União Africana.

Em 2009, o TPI emitiu uma ordem de prisão contra Bashir por crimes de guerra e contra a humanidade cometidos em 2003 durante o conflito em Darfur.

No entanto, Bashir apareceu na foto de grupo dos chefes de Estado e governo dos países africanos e sorriu para as câmeras. O governo do Sudão disse não haver problemas com o retorno do chefe de Estado ao país.

Isolado internacionalmente

Mais de 300 mil pessoas morreram e cerca de 2,5 milhões tiveram de deixar suas casas devido ao conflito étnico-cultural que abala a região de Darfur, no oeste do país, desde 2003. Cartum, por outro lado, estima que o número de mortos do conflito não ultrapassa 10 mil.

Há anos que o Sudão está isolado internacionalmente. Desde 1997, o país é alvo de um embargo econômico dos EUA devido às alegadas violações dos direitos humanos e ligações ao terrorismo. No início dos anos 1990, o governo em Cartum abrigou por cinco anos o ex-líder da Al Qaeda, Osama bin Laden.

Além dos conflitos armados que afetam metade dos seus 18 estados, o Sudão perdeu cerca de 75% dos seus recursos petrolíferos com a secessão do sul, que se tornou o Estado do Sudão do Sul em 2011.

CA/lusa/dpa

Leia mais