Tribunal Penal Internacional pede ordem de prisão contra Kadafi | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 16.05.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Tribunal Penal Internacional pede ordem de prisão contra Kadafi

Ditador líbio, seu filho Seif al-Islam e o chefe da inteligência militar do regime são acusados de crimes contra a humanidade. A ordem poderia levar à extradição de Kadafi para Haia, mas a Líbia não reconhece o TPI.

Kadafi teria ordenado pessoalmente os ataques

Kadafi teria ordenado pessoalmente os ataques

O procurador do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno-Ocampo, anunciou nesta segunda-feira (16/05) ter solicitado a emissão de ordens de prisão por crimes contra a humanidade contra o ditador líbio, Muammar Kadafi, contra o chefe da inteligência militar do regime, Abda al-Senussi, e contra um dos filhos de Kadafi, Seif al-Islam, considerado o principal candidato à sucessão do líder líbio.

Luis Moreno-Ocampo, procurador do TPI

Luis Moreno-Ocampo, procurador do TPI

"As provas demonstram que Kadafi ordenou pessoalmente ataques contra civis desarmados na Líbia", afirmou o argentino à imprensa em Haia, onde fica a sede do órgão. O documento com mais 70 páginas contendo as provas obtidas foi entregue aos juízes da instância internacional, que irão agora analisar o pedido, podendo aceitar, rejeitar ou solicitar informações suplementares ao gabinete do procurador.

Moreno-Ocampo qualifica os três acusados como os "principais responsáveis penais" pelos crimes cometidos durante a sangrenta repressão das revoltas populares iniciadas em fevereiro passado, entre os quais figuram o assassinato de centenas de manifestantes, bem como a perseguição de civis inocentes. "Kadafi cometeu esses crimes para assegurar sua permanência no poder", acrescentou.

Além disso, o documento especifica que o regime fez uso de armas proibidas por convenções internacionais, entre elas bombas de fragmentação.

Líbia não reconhece o TPI

Sede do TPI em Haia, na Holanda

Sede do TPI em Haia, na Holanda

Ainda não está claro se e quando será emitida a ordem internacional de prisão contra o ditador. Caso isso aconteça, o Tribunal Penal Internacional poderia pedir a extradição de Kadafi a Haia. No entanto, a Líbia não reconhece a legitimidade do TPI.

Em 26 de fevereiro último, o Conselho de Segurança da ONU votara uma resolução que pedia ao procurador do TPI para investigar a situação na Líbia desde meados de fevereiro em relação a eventuais crimes contra a humanidade. Moreno-Ocampo anunciou em 3 de março a abertura de uma investigação contra oito pessoas, incluindo o coronel Kadafi e três de seus filhos.

Em 4 de maio, o procurador do TPI indicou ao Conselho de Segurança da ONU que pediria a emissão de três mandados de prisão contra os supostos autores dos crimes contra a humanidade.

RR/lusa/dpa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais