1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Tribunal de Contas questiona estatísticas do Departamento do Trabalho

A Alemanha tem um novo escândalo. No país dos dados exatos, o órgão federal que registra os desempregados e procura trabalho para eles foi acusado pelo Tribunal de Contas de graves erros na mediação de empregos.

default

Agência do Departamento do Trabalho em Berlim

O Departamento Federal do Trabalho e seu presidente, Bernhard Jagoda, estão sob forte pressão na Alemanha, depois que o Tribunal de Contas descobriu erros bombásticos nas estatísticas sobre a colocação de desempregados. Essa é uma das tarefas do órgão, que mantém 181 agências em todo o país.

Em seu relatório, o departamento afirmou que teria conseguido trabalho para 3,9 milhões de desempregados em 2000. Após controlar mais de 5000 casos de mediação de mão-de-obra em cinco agências, o Tribunal de Contas questionou esse número. Ele verificou que 70% dos casos foram registrados erroneamente, isto é, os desempregados não haviam conseguido trabalho, com o que o departamento não cumprira sua função de agência de emprego.

Reforma radical e a cabeça do presidente - Políticos de todos os partidos, entidades empresariais e institutos econômicos exigiram uma reforma radical do sistema estatal de colocação de mão-de-obra e a participação de agências particulares no esquema. Diante da dimensão das discrepâncias houve quem pedisse a cabeça de Jagoda, que é membro da União Democrata-Cristã, partido de oposição ao governo federal, e presidente o departamento há vários anos.

Uma reforma deveria começar pela "cabeça e os membros" da instituição, exigiu Dieter Hundt, presidente da Federação Alemã dos Empregadores. O órgão federal precisaria adotar uma mentalidade empresarial e pensar em eficiência e rentabilidade. Ele considerou "um escândalo" que somente 10% dos seus 93 mil funcionários se dediquem a arranjar trabalho para quem está sem.

4,3 milhões de desempregados - A diretoria do Departamento Federal do Trabalho marcou uma reunião extraordinária para tratar das acusações na quarta-feira (06), quando irá divulgar os novos dados do mercado de trabalho. Segundo adiantaram alguns jornais, o número de desempregados tornou a subir na Alemanha, chegando perto de 4,3 milhões de pessoas em janeiro.