1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Trens com centenas de migrantes chegam à Alemanha

Requerentes de asilo lotaram plataformas em Budapeste para embarcar com destino à Áustria e Alemanha. Solicitantes, a maioria sírios, foram recebidos por policiais, que efetuaram o registro dos pedidos de refúgio.

Centenas de migrantes chegaram ao sul da Alemanha nesta segunda-feira (31/08) em trens vindos de Budapeste e Viena. Um dos trens chegou à cidade bávara de Rosenheim, perto da fronteira com a Áustria, com cerca de 350 pessoas.

A polícia estava a postos na estação para fazer o registro dos requerentes de asilo. "Não podemos empilhar essas pessoas umas em cima das outras", afirmou o porta-voz da polícia local, Rainer Scharf.

Outras centenas de migrantes seguiram viagem para Munique, onde se formaram longas filas na estação central.

Na manhã desta segunda, dois trens que partiram de Budapeste rumo a Viena foram retidos na fronteira austro-húngara para triagem. Pessoas que já tinham pedido asilo à Hungria foram obrigadas a retornar ao país.

Cerca de 2 mil migrantes, a maioria sírios, que chegaram à Hungria através da fronteira com a Sérvia, passaram o fim de semana no centro de Budapeste reivindicando permissão para viajar à Europa ocidental.

Diante do tumulto criado nas estações de trem, a polícia afrouxou o controle de embarque nas plataformas, o que motivou migrantes a lotarem os trens rumo à Austria e Alemanha.

Registro

A Comissão Europeia instou a Hungria a cumprir a legislação do bloco e registrar todos os refugiados que chegam ao país. Segundo o Regulamento de Dublin, o país onde o migrante chegou pela primeira vez deve se responsabilizar pelo processo de requerimento de asilo.

Países da Europa oriental contrários à política de cotas de distribuição de refugiados pelos Estados membros da União Europeia (UE) vão se reunir na sexta-feira em Praga para formular uma ação conjunta. Estarão presentes governantes da Eslováquia, República Checa, Polônia e Hungria.

O primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico, afirmou que não vai ceder à pressão da fatia ocidental do bloco. Segundo ele, as cotas obrigatórias servem apenas para promover o "crime organizado".

Entre a última sexta-feira e este domingo, as autoridades húngaras barraram mais de 8 mil pessoas que cruzaram a fronteira entre a Sérvia e a Hungria de forma ilegal. No sábado, o país concluiu a construção de uma barreira para evitar a passagem de migrantes ao longo da região fronteiriça.

Depois de que 71 corpos de migrantes foram localizados no interior de um caminhão, a Áustria decidiu

ampliar o controle

de veículos nas estradas que ligam o país à Hungria. Nesta segunda, a polícia austríaca prendeu cinco atravessadores e resgatou cerca de 200 migrantes ilegais.

KG/efe/dpa

Leia mais