Tremores secundários atingem Nova Zelândia | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 14.11.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Tremores secundários atingem Nova Zelândia

País registrou novos abalos de até 6,3 na escala Richter, além de tsunami de dois metros. Defesa Civil avalia estragos e pede que moradores procurem abrigo em áreas mais altas.

Fortes tremores voltaram a abalar a Nova Zelândia nesta segunda-feira (14/11), agravando a devastação deixada pelo terremoto que atingiu o país por volta da 00h00 de domingo. Foram registrados desmoronamentos e tsunamis em decorrência dos abalos sísmicos, cujo prejuízo já é estimado na casa dos bilhões de dólares.

Por volta de 13h45 (hora local), o país insular foi atingido por centenas de tremores secundários. Segundo a agência de monitoramento de terremotos GeoNet, o mais forte deles teve uma magnitude de 6,3 na escala Richter e profundidade de 35 quilômetros. Não há registros de novas vítimas até o momento.

Assistir ao vídeo 01:17
Ao vivo agora
01:17 min

Terremoto abala Nova Zelândia

O alerta de tsunami, anteriormente suspenso, foi reemitido pouco antes de ondas de cerca de dois metros de altura atingirem a costa. O Ministério da Defesa Civil e Gestão de Emergências também instou os habitantes das áreas baixas a procurarem abrigo em locais mais elevados, além de desaconselhar a ida ao centro da cidade, devido ao risco de desabamento.

Deslizamentos de terra bloquearam a principal rodovia da localidade costeira de Kaikoura, importante ponto de observação de baleias, impedindo a partida de mil turistas. Um navio da Marinha foi enviado ao local para ajudar no resgate, e na terça-feira a Defesa Civil pretende entregar alimentos, água e outros suprimentos.

Casos de assaltos

A polícia neozelandesa registrou 19 assaltos de casas e estabelecimentos comerciais evacuados devido ao terremoto. "É extremamente frustrante que, num momento em que as pessoas enfrentam um acontecimento tão traumático, e as comunidades se unem para se ajudar, outros só estejam interessados em tirar vantagem", comentou o comandante da polícia de Canterbury, John Price.

Os tremores desta segunda-feira sucedem um terremoto de magnitude 7,8 na escala Richter que abalou a costa leste da Nova Zelândia e forçou milhares a passarem a noite fora de casa. Pelo menos duas pessoas morreram e várias ficaram feridas.

O epicentro do abalo situou-se a cerca de 90 quilômetros de Christchurch, maior cidade da Ilha Sul da Nova Zelândia. Em 2011, um tremor de magnitude 6,3 e epicentro a apenas 10 quilômetros de distância causou 185 mortes em Christchurch.

A Nova Zelândia se encontra no chamado "Anel de Fogo", um arco de 40 mil quilômetros de vulcões e fossas oceânicas, que em parte circunda o Oceano Pacífico, onde ocorrem cerca de 90% dos terremotos do mundo.

IP/ap/rtr/dpa

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados