1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Trabant, do leste alemão para a África

Trabant, o carro popular produzido na ex-Alemanha Oriental, pode voltar a ser fabricado. Numa versão mais simples e robusta, o Africa-Trabi será fabricado especialmente para o mercado africano.

default

Empresário alemão quer voltar a produzir carro popular

A idéia, e no momento realmente não passa disto, é muito simples. A fábrica Sachsenring, da cidade de Zwickau, no leste alemão, chegou a produzir mais de três milhões de veículos da marca Trabant antes da queda de muro. Há 12 meses, entretanto, decretou insolvência. Seus funcionários, acostumados a improvisar e desenvolver novas tecnologias à base dos parcos materiais de que dispunham nos tempos do regime socialista, não desanimaram e estão motivados com um novo projeto.

Simples e indestrutível

O novo carro associaria as características de um trator, um carro de passeio e um veículo de carga, feito especialmente para as regiões pobres do planeta. O empresário alemão Peter Mandos fez a sugestão aos seus parceiros na África do Sul: "Não se trata de desenvolver um novo veículo. A idéia é concebê-lo na Alemanha e fabricá-lo em outro lugar. Poderia ser a África do Sul, por exemplo, já que este país atualmente é um dos maiores fabricantes africanos de veículos, mas o típico dessa produção atual é que ela não fica no país."

Na opinião de Mandos, a produção do Trabant na África do Sul, para o mercado local, seria vantajosa por garantir empregos tanto no setor de produção como de manutenção. Para a sua implementação, no entanto, é preciso fazer, inicialmente, um estudo de viabilidade do projeto.

Low tech

Os custos desse estudo são orçados em um milhão de euros. O primeiro desafio de seus idealizadores, no momento, é a busca de patrocinadores. O segundo, explica Mandos, é desenvolver um veículo que atenda realmente às necessidades de uma camada da população que ganha entre 90 e 400 euros ao mês. O difícil será reduzir os custos, pois a idéia inicial é construir um automóvel, cujo preço não passe de três mil euros.

Enquanto Mercedes, BMW & Cia. desenvolvem carros cada vez mais high tech, os alemães orientais voltam-se para outro mercado, bem mais próximo da realidade da grande maioria da população do planeta. A esperança dos funcionários da Sachsenring é que ao menos os primeiros protótipos sejam produzidos em Zwickau, garantindo, assim, a manutenção dos empregos de pelo menos 50 a 100 pessoas, até que o "Afrika Trabi" passe a ser produzido no continente africano.

Links externos