1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Traço alemão na 7ª Bienal de Arquitetura de São Paulo

Amor ao detalhe, inovação e pragmatismo são as características que os alemães querem destacar na 7ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo.

default

Modelo da Escola Internacional Alemã em Sydney, Austrália

"Ready for take off" é a contribuição da Alemanha para a 7ª Bienal de Arquitetura que acontecerá em São Paulo, de 10 de novembro a 16 de dezembro de 2007. Nessa participação concebida pelo Centro Arquitetura Alemã, 16 escritórios de arquitetura e engenharia se apresentarão, cada qual, com um projeto na Alemanha e outro no exterior.

Ready DAM

Biblioteca Nacional de Pequim, projeto de KSP Engel & Zimmermann

O conceito da exposição destaca características arquitetônicas consideradas tipicamente alemãs: a inovação técnica, o amor ao detalhe, o respeito ao contexto arquitetônico e os altos níveis de proteção ambiental. Também a confiabilidade e a pontualidade na concretização dos projetos fazem parte do selo "made in Germany", garante o setor de construção.

Essas palavras-chaves estarão escritas em português e em alemão em um tapete com as cores preto, vermelho e dourado, no ambiente da exposição. Dentre os escritórios selecionados para participar de "Ready to take off" se encontram a empresa Bel Architektur (Colônia), KSP Engel und Zimmerman Architekten (Frankfurt), assim como o escritórios de engenharia Weischeide, Herman e Associados (Stuttgart) e Staab Architekten, de Berlim.

A 7ª Bienal de Arquitetura de São Paulo se realizará no Parque Ibirapuera sob o lema "Arquitetura: o público e o privado". Após o sucesso da exposição em 2005, quando teve 250 mil visitantes, o governo alemão criou uma comissão de peritos para analisar o evento.

Ready DAM

Fábrica Fraba, em Slubice, Polônia, projeto BeL Architektur

Essa comissão concluiu que "o diálogo entre culturas e a eficiência" são dois dos pontos de destaque da Bienal paulista. Por isso, vê em projetos de arquitetura internacional a oportunidade perfeita para demonstrar a competitividade e a eficiência dos arquitetos e engenheiros alemães.

O governo alemão pretende fomentar projetos de arquitetos alemães e melhorar suas oportunidades no mercado internacional, segundo afirmou o Ministro dos Transportes, da Construção e do Urbanismo, Wolfgang Tiefensee. O investimento de 135 mil euros faz parte da estratégia de Berlim de ampliar sua participação e exposições de arquitetura, que até o momento se limitava à Bienal de Veneza.

Esta é a segunda vez que a Alemanha participa da Bienal de Arquitetura de São Paulo, que se tornou a segunda mais importante do mundo, sendo superada apenas pela Bienal de Veneza. (jv)

Leia mais

Links externos