1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Torcida alemã festeja seus "campeões mundiais do coração"

Um milhão de pessoas vindas de todo o país se reúnem em Berlim para a emocionante despedida da seleção anfitriã, que conquistou o terceiro lugar na Copa. Torcedores são as verdadeiras estrelas do Mundial, diz ministro.

default

Klinsmann e equipe se despedem dos torcedores na "fanmeile" de Berlim

"Wir fahren na Berlin" (Vamos a Berlim) era o slogan gritado incansavelmente nos estádios e nas praças da Alemanha quando a seleção anfitriã estava em campo nas últimas quatro semanas. E, apesar de o sonho da final ter sido destruído pela Itália, a torcida cumpriu sua promessa: mais de um milhão de pessoas se reuniram neste domingo (09/07) na capital alemã para festejar seus "campeões mundiais do coração".

O que se viu na avenida 17 de junho, entre o Portão de Brandemburgo e a Coluna da Vitória (Siegessäule), no coração verde de Berlim, foram cenas raras no "país das idéias", pouco acostumado a mostrar emoções. Já conformados com o fato de não disputarem a final da noite deste domingo, os alemães terminaram com uma festa nacional a "melhor Copa de todos os tempo", como disse o presidente da Fifa, Joseph Blatter.

WM06 Jürgen Klinsmann und die Deutsche Nationalmannschaft auf der Fan-Meile in Berlin

Friedrich, Klinsmann e Hanke na despedida

A última vez que em se viu tanta gente abraçada e tanta alegria na Alemanha foi há 17 anos, quando caiu o Muro de Berlim. Com uma diferença: desta vez, um mar de bandeiras e rostos pintados em preto, vermelho e amarelo-ouro inundou a capital alemã, o que ocorreu também em todo o país durante a Copa. Não é possível nem imaginar o que aconteceria se a Alemanha tivesse conquistado o tetra em casa.

"Obrigado Alemanha"

As câmeras de todo o mundo já estavam focadas para o Estádio Olímpico, palco da final entre Itália e França, quando os jogadores alemães decidiram se despedir da torcida em Berlim, e não em Frankfurt, sede da Federação Alemã de Futebol. A maior fanmeile (área com telões) do país abriu seus portões às 9h. Meia hora depois estava lotada.

Às 12h30min (7h30min de Brasília), os jogadores chegaram ao Portão de Branbemburgo trajando camisetas com um agradecimento no peito, "Danke Deutschland" (Obrigado, Alemanha), e os dizeres "Teamgeist 82 Millionen" (Espírito de equipe 82 milhões) nas costas.

Festejados como estrelas, eles distribuíram bolas, camisetas da seleção e autógrafos à multidão. Com coros de "Klinsmann, Klinsmann", os torcedores pediram mais uma vez a permanência do técnico no comando da equipe, mas ele pediu alguns dias para pensar.

Danke unseren Weltmeistern der Herzen WM06 Jürgen Klinsmann und die Deutsche Nationalmannschaft auf der Fan-Meile in Berlin

Mensagem no telão agradece aos jogadores da seleção

"Se tivéssemos uma fanmeile atravessando todo o país, hoje ela estaria lotada", disse Anja Hobert, que veio da Turíngia para ver os craques alemães pela última vez nesta Copa. "Podemos estar orgulhosos, porque eles deram tudo e jogaram muito bem", acrescentou.

O orgulho pelo surpreendente desempenho da equipe alemã ajudou a aliviar a dor da longa despedida, que começou após a derrota por 2 a 0 para a Itália na semifinal, na última terça-feira, e foi até este domingo. Ele também impediu o fim precoce do clima de festa popular que caracterizou este Mundial.

"Não houve ruptura. Continuei vendo as bandeirinhas alemãs nas casas e nas ruas depois do jogo contra a Itália", disse o comentarista da ESPN Brasil Paulo Vinicius Coelho à DW-WORLD. Há mais de um mês no país com uma equipe de 40 funcionários cobrindo o Mundial, ele constatou que "os alemães surpreendentemente continuaram alegres".

Sonho adiado para 2010

Mas o drama da derrota na prorrogação para a Itália ainda não foi de todo superado. "É incrível o que pode acontecer em dois minutos. Hoje não consegui vibrar com a mesma intensidade como nos jogos anteriores", disse Michael Schlaubitz, no meio de um milhão de torcedores reunidos em Berlim, ao fim o jogo Alemanha 3 x 1 Portugal neste sábado. "Na final, vou torcer pela França, porque os italianos nos eliminaram", avisou Alexander Müller.

WM06 Jürgen Klinsmann und die Deutsche Nationalmannschaft auf der Fan-Meile in Berlin

'Fanmeile' ao redor do Portão de Brandemburgo

No primeiro tempo da disputa pelo terceiro lugar, o choque da eliminação ainda estava estampado no rosto da torcida alemã. Tímidos gritos de "Deutschland, Deutschland" alternavam-se com longos minutos de tensão e silêncio, em parte também provocados pela pressão inicial dos portugueses. Mas depois do primeiro gol de Schweinsteiger, a alegria voltou.

No final da partida, enquanto os telões exibiam "Danke unseren Weltmeistern der Herzen" (Obrigado aos nossos campeões mundiais do coração), os torcedores passaram a entoar um dos hinos alemães da Copa ("54, 74, 90, 2006") em nova versão: "54, 74, 90, 2010 – Daí seremos campeões mundiais".

Para realizar este sonho adiado, mais de 90% dos alemães querem que o técnico Jürgen Klinsmann continue no comando da seleção. "Acho que não o perdoaremos se ele disser não", disse Schaubitz, torcedor do Hamburgo que vive em Berlim.

Torcedores foram as estrelas

Para ele, "ainda é difícil imaginar uma vida depois da Copa. Foram quatro semanas de festa sem interrupção". Mais do que o tetra daqui a quatro anos, os alemães parecem desejar que seu próprio sorriso, mostrado ao mundo nas últimas semanas, não desapareça logo. E mais: "Não vou tirar a bandeira da janela de minha casa tão cedo", avisou Schlaubitz.

WM06 Bilder des Tages v. 09.07.206 Deutschlandfahnen und Danke-Schilder auf der Fan-meile in Berlin

Torcedor agradece à equipe

"Espero que um pouco desta atmosfera continue presente no nosso dia-a-dia", disse Inka Lang, de Frankfurt. O mesmo anseio foi manifestado por Sven e Jonas Marchner (de Lübeck) e outros torcedores ouvidos pela DW-WORLD. "Nossa seleção jogou melhor do que o Brasil. E nossa torcida foi nota 10. Queremos que a festa continue", disse Sven.

"Estamos orgulhosos por termos recebido nossos visitantes com tanta alegria", disse o berlinense Yves Rosada, descendente de argentinos. "Conseguimos dar vida ao slogan da Copa – O Mundo entre amigos", acrescentou.

A Alemanha festejou sua seleção e tornou-se fã de si mesma. E, na falta de estrelas nos gramados, aconteceu o que o ministro alemão do Interior, Wolgang Schäuble, resumiu assim na festa deste domingo em Berlim: "Os torcedores foram as verdadeiras estrelas desta Copa".

Leia mais

  • Data 09.07.2006
  • Autoria Geraldo Hoffmann
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/8k81
  • Data 09.07.2006
  • Autoria Geraldo Hoffmann
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/8k81