1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Toda UE quer mandar tropa de paz para Afeganistão

União Européia pretende contribuir com até 4.000 soldados para a tropa de boinas azuis que deverão garantir a segurança no Afeganistão.

Pela primeira vez na história da União Européia (UE), todos os 15 países-membros querem destacar soldados para uma missão de paz - a tropa que a ONU planeja mandar para o Afeganistão. Foi o que prometeram os chefes de Estado e de governo da comunidade européia em seu encontro de cúpula de dois dias, iniciado nesta sexta-feira, em Laeken, na Bélgica.

O contingente da UE será da ordem de 3.000 a 4.000 soldados, provavelmente sob o comando da Grã-Bretanha, o único país que participou até agora diretamente da guerra dos Estados Unidos no Afeganistão, em represália aos atentados de 11 de setembro. A Alemanha pretende destacar uma tropa 1.000 a 1.500 militares, com custos estimados em 600 milhões de euros (US$ 541,85 milhões).

Os detalhes sobre a ação dos europeus no Afeganistão ainda dependem do mandato que a ONU deverá aprovar, em Nova York, até o próximo dia 22, esclareceu o coordenador da política externa comum européia, Javier Solana, na cimeira perto de Bruxelas. Os soldados europeus deverão ser estacionados principalmente na capital Cabul, segundo ele.

A participação de outros países não membros da UE também depende do conteúdo do mandato das Nações Unidos para o contingente multilateral. A tarefa dos capacetes azuis será garantir a paz no período de transição que começará no dia 22 de dezembro com a posse do governo provisório negociado pelas quatro delegações afegãs antitalibãs na conferência de Bonn.

O gabinete social-democrata (SPD) e Verde da Alemanha quer decidir na próxima quarta-feira (19) sobre a tropa de paz para o Afeganistão, depois que o Conselho de Segurança aprovar o mandato equivalente na terça-feira (18). O Parlamento em Berlim entra em recesso hoje, mas será convocado, extraordinariamente, para debater e votar o contingente alemão. A aprovação já é tida como certa.

O Ministério da Defesa desmentiu, enquanto isso, notícias da imprensa dando conta que os primeiros soldados alemães chegariam em Cabul ainda nesta sexta-feira (14). Segundo o jornal Hamburger Morgenpost, 30 pára-quedistas da brigada de Oldenburg estariam de partida. Segundo fontes de Berlim, em 2 de janeiro, dez navios se deslocarão rumo à Península Arábica e deverão ancorar em diversos portos no chifre da África.

O chanceler federal, Gerhard Schröder, prometeu e o Parlamento aprovou o envio de até 3.900 soldados para apoiar os EUA na luta contra o terrorismo no Afeganistão. Em nome da segurança dos militares e suas famílias, o Ministério da Defesa não informa sobre detalhes, como o recente envio de 100 soldados de elite para ajudar os comandos americano, britânico e francês na captura de combatentes da Al Qaed, de Bin Laden, no Afeganistão.