THYSSENKRUPP BRIGA NO BRASIL POR USINA MAIS CARA DA HISTÓRIA DO GRUPO | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 29.01.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

THYSSENKRUPP BRIGA NO BRASIL POR USINA MAIS CARA DA HISTÓRIA DO GRUPO

ThyssenKrupp no Brasil, política europeia e matérias-primas, Belo Monte, atentado em Moscou e a polêmica sobre o busto de Nefertiti foram temas comentados por nosso usuários esta semana.

default

Muito interessante a reportagem da DW sobre os problemas enfrentados pelos brasileiros, habitantes do bairro de Santa Cruz no Rio de Janeiro, causados pela poderosa ThyssenKrupp. A empresa vem sido citada com furor pela imprensa local, por fazer da região onde se instalou uma verdadeira latrina.
Segundo a reportagem, a empresa alega "que a emissão do grafite não provoca danos à saúde". Tenho uma sugestão: que tal colocar as mães do presidente e dos diretores da ThyssenKrupp instaladas em confortáveis casas vizinhas à siderúrgica? Se o grafite é inócuo à saúde, nada lhes aconteceria, e elas poderiam até desfrutar do agradável ar de Santa Cruz. Mais uma observação: A ThyssenKrupp CSA pode até "pagar os melhores salários no Brasil", desde que esses salários nunca sejam comparados aos do mesmo cargo na Alemanha, claro.
Última observação: A empresa diz que pode "produzir 5 milhões de placas de aço por ano em excelente qualidade e a baixo custo". O "baixo custo" se aplica somente aos salários, aos impostos e à matéria prima. O custo ambiental, esse está altíssimo. E quem paga não é a ThyssenKrupp. Portanto: uma empresa que emporcalha a casa dos outros, ignora os princípios ambientais do país de origem (para que princípios?) e se refugia na inércia de um governo omisso e permissivo quanto ao meio ambiente. Até quando?
Luciano Tavares

POLÍTICA EUROPEIA E MATÉRIAS-PRIMAS VAI AGRAVAR POBREZA

A Europa fala, fala, mas não convence. É igualzinha aos EUA, ao Canadá - aliás, aqueles derivam desta... A prova? Nesta edição do DW Notícias há uma reportagem em tom de crítica à autorização da Usina Belo Monte, no Brasil; e outra sobre essa política europeia de matérias primas. Quer contradição de colonialismo maior?
Ricardo Cruz

IBAMA DESCUMPRE PRÓPRIAS CONDIÇÕES E AUTORIZA BELO MONTE

Faz-se necessária uma séria mobilização da sociedade brasileira para impedir Belo Monte, o que acredito que só poderá se dar com uma união muito forte das organizações ambientalistas e dos órgãos judiciários, pois o poder econômico escravizou os brasileiros o tempo todo. Só em Minas Gerais verificamos abusos escandalosos, e não vai adiantar chorar no futuro.
Carolina Martini

MEDVEDEV ACUSA "FRACASSO SISTEMÁTICO" DE SEGURANÇA EM DOMODEDOVO

Digo aqui no meu comentário e deixo uma pergunta: Quem suspeitaria de uma mulher-bomba? Terrorista tem meios diabólicos para driblar qualquer tipo de segurança. Infelizmente, enquanto a nossa tecnologia de segurança avança, as dos terroristas também avançam para combater a nossa. Eu já disse aqui em alguns comentários, que esses muçulmanos não têm amor à própria vida, porém não se preocupam com a vida dos outros. Eles morrem e matam dezenas junto deles. São os fanáticos religiosos, fazendo tudo, ou seja, matando por religião.
Mauricio Joffre da Silva

É característico de certo tipo de governo que as glórias pertençam ao governo e repercutam individualmente sobre seus líderes - presidente, primeiro ministro -, enquanto os fracassos sejam atribuídos apenas aos indivíduos, que, então, devem ser punidos, demitidos, e coisas do gênero. Os fracassos nunca pertencem ao governo, sendo sempre atribuídos a indivíduos ou fatores (natureza, por exemplo, como no Brasil) distantes dele. É característico de certos povos, por ignorância, medo ou outros fatores, acreditarem e repetirem esse "faz-de-onta" de que este tipo de governo quer o bem do povo.
Sue Guerreiro

ARQUEÓLOGO-CHEFE EGÍPCIO ISISTE EM DEVOLUÇÃO DE BUSTO DE NEFERTITI

Felizmente para a humanidade, os alemães levaram e guardaram os achados. Caso contrário, há muito tempo teriam sido perdidos. Grato
Clovis Antonio Perazzolo

Isto é roubo. O governo alemão está roubando um patrimônio histórico de outro país.
Jango Paulo

Se os alemães não tivessem ficado com o busto da Nefertiti, provavelmente ela nem existiria mais. Além disso, creio que esse tipo de tesouro pertence à história da humanidade, e os alemães sabem disso e tratam a peça como tal.
Carla Lima

Do meu ponto de vista, a Nefertiti pertencerá sempre ao Egito! Não é porque os alemães financiaram escavações arqueológicas terão o direito de levar a metade dos achados arqueológicos para casa. Quem aprovou estes projetos representava que grupos sociais? Quais eram os interesses? Visitei em Berlin o museu que tinha a exposição de Nefertiti. Magnifico, fácil de se visitar etc. Mas não é seu lugar em Berlin ou qualquer outro lugar do mundo. Nefertiti fora do Egito será simplesmente uma réplica, não terá história, não representa nada.
Cada vez me convenço mais dessa farsa que a humanidade construiu para si mesma. Os museus da Europa abrigam milhares de peças arqueológicas de outras civilizações. E um contrasenso estarem ali. Assim, se vai ao Museu do Louvre de Paris e encontramos peças arqueológicas do mundo grego ou do Egito. Até podemos apreciar a fachada de um templo grego inteira. Em Roma da mesma forma, se passa na praça São Pedro de Roma o Obelisco central é vindo do Egito, e assim vai. Na minha modesta opinião, estes objetos arqueológicos deveriam permanecer em seus locais de origem, se faria justiça em nome da arqueologia e da história.
Odalberto Domingos Casonatto

O importante é não esquecermos que a maioria das obras que estão no museus da Europa foram roubadas, expoliadas, em nome de "missão civilizatória". Como boa parte da riqueza acumulada através de matérias primas.
Luciene Weiland

Leia mais