1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Tesouro arqueológico é encontrado em Bonn

Resquícios de uma vila romana existente há cerca de 2000 anos foram achados nas escavações do terreno onde será construído um centro de convenções.

default

Fundamentos de construções e diversos objetos pessoais estão entre os achados

As obras para a construção de um grande centro de convenções pertencente à Organização das Nações Unidas (ONU) em Bonn estão paralisadas até outubro. Durante as escavações, realizadas no antigo bairro governamental da ex-capital alemã, foram encontrados restos de uma comunidade de mais de 2000 anos de idade, pertencente ao Império Romano.

Em uma profundidade de até 3,5 metros, foram descobertos fundamentos de diversas construções feitas de pedra, como casas, pequenos estabelecimentos comerciais, oficinas de artesanato, um templo e até termas que funcionavam como banhos públicos. Os arqueólogos também acharam cerca de 60 mil fragmentos de pratos, travessas, pingentes, jarros, xícaras, além de outros utensílios domésticos e objetos de uso pessoal.

De acordo com especialistas, tratava-se de um assentamento civil, uma vez que as instalações militares do Império Romano na região de Bonn ficavam onde hoje se localiza o centro histórico da cidade, distante alguns quilômetros das atuais escavações. De acordo com Jürgen Kunow, diretor do Departamento Renano de Patrimônio Histórico, o achado não tem precedentes na Alemanha. "Nunca havíamos descoberto nada parecido sobre a vida dos cidadãos romanos às margens do Rio Reno", relata.

Casas aquecidas no inverno

Grabungen im Bonner Regierungsviertel

No local será construído um centro de convenções

De acordo com o arqueólogo Peter Henrich, as escavações revelaram, que na comunidade de cerca de 2000 habitantes, havia uma impressionante infra-estrutura urbana para a época, com rede de distribuição de água e um requintado sistema de calefação. "Os pisos eram elevados e debaixo produzia-se fogo. O ar quente então circulava abaixo do chão e através das paredes. Isso significa que a fumaça e o calor saíam e o piso e a parede ficavam quentes", descreve.

Os fundamentos de construções onde funcionavam oficinas e lojas revelam também, de acordo com pesquisadores, que a comunidade descoberta contava com serviços de paneleiros, vidreiros, açougueiros, oleiros e artesãos. Esse tipo de comunidade não-militar da época dos romanos era chamado de v icus e, para Kunow, era uma "demonstração clara, para os germanos que moravam do outro lado do Reno, da força civilizatória por trás das estruturas urbanas do Império Romano".

A área onde a aldeia foi encontrada corresponde a quatro campos de futebol e é atualmente a maior escavação arqueológica em andamento na Alemanha. Nora Andrikopoulou-Strack, do Conselho Regional da Renânia, avalia a importância da descoberta. "Esta área é a maior janela que se abre para a história dos assentamentos romanos, algo que nunca houve na história da Alemanha", declara.

Artigos da Segunda Guerra

Objetos de épocas mais modernas também foram descobertos, como garrafas e tampinhas utilizadas por cervejarias da região no séculos 19 e 20. Outras relíquias achadas são dois capacetes utilizados por soldados durante a Segunda Guerra Mundial, sendo um das Forças Armaddas norte-americanas e outro do Exército alemão.

Objetos do período pós-guerra também estão entre as descobertas. Uma caixa com material de propaganda da União Democrata Cristã (CDU), datado de 1957, e um alto-falante usado no antigo plenário do Parlamento alemão completam o tesouro recém-descoberto.

Leia mais