Terroristas atacam prédio do British Council em Cabul | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 19.08.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Terroristas atacam prédio do British Council em Cabul

Talibã reivindica autoria do atentado suicida contra o centro cultural do Reino Unido na capital do Afeganistão. Segundo governo afegão, ao menos oito pessoas morreram e 16 ficaram feridas no atentado.

default

Seguranças observam local do ataque suicida em Cabul

Pelo menos oito pessoas morreram num ataque suicida contra o British Council em Cabul, nesta sexta-feira (19/08), um feriado que marca a independência do Afeganistão do Reino Unido, em 1919. Entre os mortos está um soldado da Otan.

De acordo com o mais recente balanço do Ministério afegão do Interior, a maioria dos mortos eram seguranças e agentes da polícia. O ataque causou ainda 16 feridos, entre os quais seguranças do British Council, o centro cultural do Reino Unido.

O ataque suicida ocorreu por volta das 5h45 locais, quando se verificaram duas fortes explosões, com alguns minutos de intervalo. As explosões foram seguidas por disparos esporádicos no bairro de Kart-e-Parwan, na zona oeste de Cabul, a cerca de seis quilômetros do centro da cidade, segundo testemunhas.

Cinco terroristas teriam participado da ação, segundo as agências de notícias Reuters e AFP. O primeiro conduziu um carro até o portão do British Council. O automóvel explodiu no local, matando o condutor. Uma segunda explosão ocorreu logo após a primeira.

As explosões abriram caminho para outros militantes entrarem no prédio. Segundo a AFP, ao menos quatro invadiram o local. Após mais de oito horas de troca de tiros, o Ministério do Interior confirmou o fim da ação. Todos os militantes foram mortos.

Um porta-voz do Talibã disse à Reuters que o ataque era um recado para o governo afegão e para o governo britânico. "Estamos lembrando a eles que vamos de novo nos tornar independentes de todos os estrangeiros, especialmente dos britânicos."

O governos do Reino Unido e da Alemanha condenaram a ação terrorista. "Não vamos permitir que as forças do terrorismo impeçam nosso caminho de cooperação e a transferência de responsabilidades", afirmou o ministro alemão do Exterior, Guido Westerwelle.

AS/rtr/afp/lusa
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais