1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

TERAPIAS ALTERNATIVAS

Meio ambiente, energias alternativas e política são temas sempre atuais para nossos usuários, mas esta semana temos novidades: terapias alternativas, reforma ortográfica, boas maneiras e violência nos games.

default

Há muito tempo dou preferência ao uso de medicamentos homeopáticos, acupuntura, tenho sempre obtido resultados bons, aliados a cuidados com a espiritualidade cristã, que pratico no dia-a-dia, ou pelo menos me esforço para tal. Assim venho notando que a minha qualidade de vida melhorou muito e também o convívio com família, amigos e a sociedade em geral . Me sinto hoje uma pessoa melhor, mais tolerante, mais fraterna com todos da minha convivência e com a sociedade em geral. Recomendo porque vale a pena!
Vera Lúcia Pires de Camargo

INDENIZAÇÕES A ANTIGAS COLÔNIAS
A Alemanha não deve pagar indenizações. Ou todas as nações que tiveram impérios coloniais também o deveriam. Aliás, as muitas indenizações pagas pelos alemães são questionáveis, pois têm mão única. Alguém paga indenizações pelo massacre de alemães? Alemães civis, camponeses em sua maioria, desarmados, "gloriosamente" dizimados e/ou expoliados de seus bens por "patrióticos guerilheiros" ou pelos "exércitos libertadores". Nota: não sou pró-nazista, pró-fascista, pró-comunista, pró-sionista, ou favorável a qualquer outra ideologia sangüinária e discriminatória.
Edelberto Wilson Schmidt

BRASIL NA ONU
Pela postura independente, pela defesa intransigente da não ingerência, não intervenção e da solução pacifica de conflitos, bem como por sua participação efetiva nos dois conflitos mundias, não creio restar dúvidas de que o Brasil é legítimo postulante a um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.
Carlos J. Ponciano da Silva

VIOLÊNCIA NOS GAMES MODERNOS
Como profundo apreciador de games, seja em PC ou nos antigos "arcades", posso opinar com conhecimento de causa. É sabido que desde os primórdios dos games, o fator violência sempre existiu como atrativo, por existirem diversos gêneros, como guerra, ação, policial, etc. Acompanhei todas as gerações de videogames, e sei que as de hoje, com jogos em primeira pessoa – aqueles em que o jogador tem a mesma visão do personagem – contribuíram muito para o aumento da violência. São os jogos chamados de "realidade virtual".
Jogos como o "Counter Strike", por exemplo, possuem uma definição de imagem tão perfeita que a pessoa "entra" no jogo, e em determinados aspectos isso pode "enganar" a mente de quem joga. Eu cheguei até a ter sonhos repetitivos com o tal jogo e percebi que a capacidade de indução é absurda. Logo "dei um tempo" nesse game.
Bom, tenho hoje 30 anos, mas acredito que o impacto que isso cria na mente de um adolescente de 14 anos, que ainda não consegue diferenciar o quanto o game se integrou na própria realidade, isso pode se tornar mais grave. No caso desse game "Manhunt", na minha opinião é muito mais do que entretenimento, pois ele pode despertar uma personalidade sádica na pessoa, e de fato isso pode se tornar natural para os adolescentes.
Na minha opinião, o fabricante desse game deveria empenhar esforços para construir um jogo mais positivo, porque o mundo já está cheio de tranqueiras. Sou contra censuras gratuitas, mas esse jogo "Manhunt" deve ser retirado do mercado, proibido e a empresa deve ser multada. Não precisamos de mais produtos negativos como esse.
Kleber Oliveira Junior

LÍBIA E MUAMMAR KADAFI
Se dependesse dos orientais, eles jamais teriam se separado do Ocidente. Acho que cada um deve cuidar de sua casa e deixar que os outros cuidem da sua. Por momentos, a casa deles pode não ser a melhor, mas é a casa, o quintal deles. O que o Bush tinha que fazer no Iraque? O 11 de setembro foi uma pá de cal no capitalismo que quer dominar o mundo. Que cada um viva sua vida. Chega de inquisição, holocausto e tanta vergonha. Que Deus nos perdoe, porque não sabemos o que fazemos.
No meu entender não haveria tanto terror, tanta carnificina, se houvesse mais amizade, mais amor e menos ganância. O que os EUA estão fazendo com o meio ambiente? E por aí vai... Cada um deve se olhar no espelho antes de expressar qualquer juízo.
O capital está, aos poucos, mudando de mãos, daí o desespero de quem sempre deu as cartas.
Acho que o Ocidente deve dar as mãos ao Kadafi. Não foi só ele que cometeu atrocidades. Acho que ele fez foi pouco se comparado a tanta coisa que também passou e ninguém reconhece. Muito menos pensar em indenizar. Se assim fosse, seria o caos mundial. Muitos países ficariam na miséria. Por isso, não cabe julgar os outros. Cada um deveria se envergonhar de suas atrocidades e estender as mãos ao invés de detonar. O mundo seria tão diferente!
Marta Jensen

BOAS MANEIRAS
Sim ! Eu acho muito importante dominar as regras de etiqueta.
Não para mostrar às outras pessoas, mas sim para adquirir uma segurança pessoal, sabendo se comportar em todo e qualquer lugar do mundo. Penso que, se fizermos disso um hábito já em nossa casa , na educação com nossos filhos, isso se tornará normal em suas vidas e não pesará quando necessitarem dessa conduta, e nem parecerá "artificial " em seus comportamentos... O mundo de hoje está muito difícil, e acho que educando nossos filhos dessa maneira já estaremos amenizando um dos sérios problemas que terão de enfrentar no futuro, seja em seu trabalho, sua vida, seu lazer...
Acredito que o povo brasileiro seja hospitaleiro por natureza , e que nos falta apenas bons professores que dominem a técnica de uma boa educação. Como diziam os antigos:
"Educação é bom, bonito e cabe em qualquer lugar ... "
Jussara Massarelli

REFORMA ORTOGRÁFICA NA ALEMANHA
Ao se pensar em mudar a escrita de um país ou grupo de países de mesma língua, deveria se levar em consideração as variações lingüísticas dos mesmos países. Porém o que realmente fica em jogo é a vontade política de alguns que só pensam em lucro.
Antônio Pessotti

A QUEIMA DOS LIVROS EM MAIO DE 1933
Quando li sobre a grande queima de livros que ocorreu em maio de 1933, fiquei muito horrorizada, e infelizmente está é a expressão mais cabível. Penso que muito foi destruído e jamais poderá ser recuperado, e não falo somente das perdas materiais, mas também das culturais e pessoais. Muita gente inocente sofreu muito com tudo o que aconteceu naquele 10 de maio e com os outros acontecimentos que ocorreram em seguida.
Hoje, pensando nos fatos ocorridos, dou mais valor aos livros.
Alcymaris ENERGIAS RENOVÁVEIS
No Brasil reunimos a maior diversidade cultural, vegetal, maior ocorrência de diversidades climáticas, cores, possibilidades, animais, idéias, arte contemporânea. Reflete tudo de bom e de ruim que existe no mundo. Precisamos urgentemente que o que há de bom no mundo se pronuncie no Brasil. Neste momento em que os EUA estão cavalgando suas ilusões, suas pobres e medíocres ilusões sobre desenvolvimento, progresso, cultura, meio ambiente, etc. Pedimos socorro, por ter plena consciência de que o Brasil é o último reduto da possibilidade de preservarmos a vida para as próximas gerações. Temos um trabalho, A Reconquista do Brasil, escrito por J.W. Bautista Vidal, que analisa a questão energética à luz de todo o panorama mundial, enfocando de forma genial e holística, considerando física, cultura, política, economia, história, psicologia e energia como ponto de mutação possível para um novo mundo emergir da miséria existencial ditada pela economia em detrimento de todos os valores da vida.
Parabéns ao ministro do Meio Ambiente da Alemanha. Esperamos que estas iniciativas se façam presentes e atuantes no Brasil antes que o governo brasileiro concretize o projeto de exploração da Amazônia e os precipitados programas políticos de transposição de rios caudalosos, que precisam ser revitalizados e não transpostos para a vaidade de alguns políticos inconseqüentes.
Vasco Zugno Aguzzoli ( educador)

Eu acho que o governo não iria gostar muito da idéia, já que é interessante ele manter um contrato com as grandes fornecedoras de energia, as quais pagam um "pequeno" imposto para estarem vivas no Brasil. Resumindo, não adianta nós, a televisão e os pesquisadores estarem preocupados com isso. A não ser que lutemos por isso!
Joaquim Manzini