Tendência de baixa nas bolsas de valores internacionais se mantém | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 20.08.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Tendência de baixa nas bolsas de valores internacionais se mantém

Temor de nova recessão mundial leva bolsas de valores internacionais a encerrar a semana em queda. Indice alemão e norte-americano fecharam no vermelho – embora a baixa não tenha sido tão acentuada quanto se temia.

default

Nesta sexta-feira (19/08), o índice financeiro alemão DAX chegou a registrar queda de mais de 4%, atingindo 5.345 pontos, seu mais baixo volume de negociações desde novembro de 2009. Ao longo do dia, no entanto, a Bolsa de Frankfurt conseguiu recuperar parte das perdas e fechou em 5.480 pontos, equivalente a -2,2%.

Também em outras partes da Europa, as bolsas mantiveram a trajetória negativa. O índice Footsie-100, de Londres, registrou queda de 3% na manhã de sexta-feira, e caiu abaixo da emblemática marca de 5.000 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 caiu 3,4% , para menos de 3.000 pontos. Como descreveu um analista londrino, o nervosismo dos mercados continua grande e as reações são "rápidas e violentas".

A baixa nas bolsas europeias, considerada moderada diante das flutuações do dia, seguiu o padrão dos Estados Unidos. Em Wall Street, a queda do Dow Jones não foi tão acentuada quanto se esperava. O índice mais importante da bolsa de valores de Nova York perdeu 1,6%, fechando as negociações em 10.818 pontos.

A véspera chegara a ser apelidada "quinta-feira negra": tanto as bolsas norte-americanas quanto europeias registraram perdas maciças. Mesmo as bolsas asiáticas apresentaram forte retração.

Em Wall Street, o Dow Jones caiu 3,7% para 10.991 pontos. Além do medo de um desaquecimento do crescimento econômico, especulações a respeito da capacidade financeira dos bancos europeus abalaram os mercados.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX recuou 5,8% para 5.603 pontos. Foi a maior perda diária desde novembro de 2008, o auge da crise financeira mundial.

Tendência duradoura

Deutschland Wirtschaft Kursrutsch an der Frankfurter Börse

Perdas em Frankfurt lembraram auge da crise financeira de 2008

Já no final de julho e início de agosto, as bolsas internacionais haviam passado por um período negro com perdas seguidas. A queda no volume de negociações atingiu os níveis registrados no terceiro trimestre de 2008, período que se seguiu à falência do banco norte-americano de investimentos Lehman Brothers.

Desde o início da nova onda de turbulências no mercado, em 21 de julho, o índice Dow Jones já perdeu 15%. O DAX caiu cerca de 20% desde o início de agosto.

Por enquanto, os observadores ainda não registram nenhum sinal tranquilizador. Eles aguardam o 35º fórum de política econômica, marcado para começar na próxima quinta-feira em Jackson Hole, no estado norte-americano de Wyoming, reunindo representantes dos bancos centrais. Consta que novas baixas serão inevitáveis, caso o fórum não traga boas notícias.

As turbulências no mercado financeiro internacional continuam elevando o preço do ouro. Na sexta-feira à noite, o metal precioso bateu novo recorde, sendo vendido a 59,50 dólares o grama. Ao longo da semana o ouro acumulou alta de quase 6%. Desde 1º de julho, seu preço já subiu mais de 25%.

Autor: Thomas Grimmer (ff)
Revisão: Augusto Valente

Leia mais