Tempestade Xynthia faz dezenas de vítimas no oeste da Europa | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 01.03.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Tempestade Xynthia faz dezenas de vítimas no oeste da Europa

Gerado a oeste de Portugal, ciclone causa dezenas de vítimas fatais e danos de milhões de euros no continente europeu. Apenas na França, 48 pessoas morreram e mais de 30 ficaram feridas.

default

Árvore intercepta estrada alemã após a tempestade

O violento temporal Xynthia causou a morte de pelo menos 58 pessoas e danos de milhões de euros no oeste europeu, neste domingo (28/02). Pelo número de mortes, foi essa a tempestade o mais grave dos últimos tempos, pior do que o Kyrill, em 2007, responsável por 47 óbitos, e o Lothar, que causou 50 vítimas fatais em 1999.

Sturm in Deutschland / Europa

França e Alemanha:a passagem do Xynthia em Aytre (e) e Saarbrücken

O país mais afetado pelo Xynthia foi a França, onde, até o momento, 48 morreram e mais de 30 ficaram feridos, segundo informaram as autoridades do país. Algumas pessoas ainda estariam desaparecidas. "A equipe de bombeiros irá fazer uma busca casa a casa, por isso, infelizmente o balanço ainda pode piorar", disse Brice Hortefeux, ministro do Interior da França.

Quase 9 mil bombeiros estavam trabalhando na costa francesa. A cidade mais duramente atingida foi Aiguillon-sur-Mer. Lá, dúzias de casas continuam submersas, não podendo ser vasculhadas pelas forças de salvamento, informou a televisão francesa France2.

Nesta segunda-feira, o presidente Nicolas Sarkozy classificou o ocorrido como "catástrofe nacional". O governo francês pretende decretar estado de calamidade, para facilitar a liberação das indenizações por meio de seguros, e deverá pedir ajuda à União Europeia.

Consequências no resto da Europa

No norte da Espanha e em Portugal foram registradas quatro mortes, enquanto na Bélgica um homem morreu após ser atingido por uma árvore em seu jardim.

Na Alemanha, pelo menos seis pessoas morreram, a maioria atingida por árvores derrubadas pela força dos ventos. Entre 13h00 do domingo e 5h00 horas da segunda-feira, 5.400 chamadas ligadas à tempestade foram computadas pela polícia. "As ligações chegam quase a cada minuto", informou um funcionário.

Principalmente nos estados da Renânia do Norte-Vestfália e do Sarre houve atrasos na circulação de trens, e diversas linhas foram completamente suspensas no domingo. Os funcionários da companhia ferroviária alemã Deutsche Bahn precisaram trabalhar durante a noite do domingo para liberar as plataformas devastadas.

No domingo, 242 voos – cerca de um quinto dos programados – foram cancelados no aeroporto de Frankfurt. "Mas temos esperança que a situação melhorará nos próximos dias", disse a porta-voz da Fraport, a operadora do aeroporto.

Deutschland Wetter Sturm Xynthia Flash-Galerie Frankfurt

Ventos castigaram Frankfurt

O nascimento do tufão

O Xynthia "nasceu" a oeste de Portugal como uma depressão atmosférica que chegou à costa do país no sábado pela manhã, passando a intensificar-se e deslocar-se para o nordeste do continente. Segundo os meteorologistas, na noite do mesmo dia, quando os fortes ventos já atingiam Portugal e Espanha, a pressão no núcleo do ciclone era de quase 970 hectopascal.

Na madrugada do domingo, a tormenta devastou a costa atlântica da França e, em seguida, o centro do país. Depois continuou para o interior da Europa, castigando a região do Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo) e a Alemanha já na tarde do domingo. No monte de Brocken, na região do Harz, no Leste Alemão, os ventos atingiram uma velocidade máxima de 180 quilômetros por hora.

DD/dpa/afp/apn
Revisão: Augusto Valente