1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Temor de atentado faz polícia proibir manifestações em Dresden

Medida foi provocada por ameaça de morte contra líder de movimento anti-islâmico. Autoridades citaram convocação feita pela internet, mas informaram que não têm indícios de plano concreto de ataque.

O movimento alemão anti-islâmico Pegida (sigla alemã para "Europeus patriotas contra a islamização do Ocidente") anunciou neste domingo (18/01) o cancelamento da manifestação prevista para segunda-feira em Dresden, por "motivos de segurança". A medida foi anunciada depois de um dos organizadores do protesto ter sido ameaçado de morte pelo "Estado Islâmico".

A polícia local também proibiu quaisquer outras manifestações a céu aberto nesta segunda-feira, o que impede também o protesto Dresden für alle (Dresden para todos), de militantes contrários ao Pegida.

"Somos forçados a tomar esta medida, depois de conversas com a polícia", escreveu um dos responsáveis pelo Pegida na rede social Facebook, denunciando ainda "um grave atentado à liberdade de opinião e de manifestação" por parte "de forças terroristas".

Desde final de outubro o Pegida organiza protestos às segundas-feiras em Dresden. Segundo afirmaram os responsáveis pelo movimento, a "ameaça abstrata" que o Ministério do Interior reconheceu que pesa sobre a Alemanha se tornou "uma ameaça de morte concreta" contra um dos líderes do Pegida.

"O assassinato foi ordenado pelos terroristas do Estado Islâmico (EI)", indicou o mesmo representante, acrescentando que o protesto foi cancelado para evitar "danos colaterais" aos participantes da ação.

"Perigo concreto"

"Ao avaliar a atual situação, não consideramos mais um perigo abstrato, mas concreto", afirmou o chefe da polícia de Dresden, Dieter Kroll, através de um comunicado. "Este diz respeito a um membro da equipe de organização do Pegida e às manifestações agendadas para o dia 19 de janeiro de 2015", acrescentou.

A avaliação é baseada em informações das autoridades de segurança alemãs, segundo as quais, terroristas foram convocados a se misturarem aos manifestantes do Pegida para assassinar uma das pessoas da equipe da organização do movimento anti-islâmico.

A convocação se assemelharia a uma mensagem em árabe publicada no Twitter, na qual a passeata do movimento é classificada como "inimiga do Islã". A polícia, entretanto, afirma não ter encontrado indícios concretos do planejamento de um ataque terrorista.

A manifestação de segunda-feira seria a 13ª organizada pelo Pegida em Dresden. Na passada seguinte aos atentados terroristas em Paris, o protesto reuniu cerca de 25 mil pessoas, um recorde destas marchas contra a suposta " islamização" da Alemanha e da Europa.

No anúncio do cancelamento, o movimento pediu ainda "a todos os europeus que defendem a liberdade de expressão e que são contra os fanatismos religiosos" que coloquem nas janelas as bandeiras nacionais e velas.

No sábado, a justiça francesa proibiu a realização, neste domingo em Paris, de uma manifestação que pedia a expulsão de todos os islamistas da França. O protesto tinha sido convocado pelos movimentos Resistência Republicana e Resposta Laica, sob o mote "Desequilibrados, assassinos, loucos... islamistas fora da França".

MD/dpa/afp/epd

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados