Temer defende reformas | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 28.04.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Temer defende reformas

Presidente lamenta violência, afirma que debate para "modernização da legislação" continuará no Congresso e reafirma compromisso com a democracia e instituições brasileiras.

Temer divulga nota em defesa das reformas

Temer divulga nota em defesa das reformas

Em nota divulgada no início da noite desta sexta-feira (28/04), o presidente Michel Temer defendeu as reformas propostas pelo governo e disse que o debate para a "modernização da legislação" continuará no local adequado para a discussão, "o Congresso".

A nota foi divulgada diante das paralisações e manifestações em todo o Brasil contra as reformas promovidas pelo governo de Temer na Previdência e na legislação trabalhista. Os atos ocorreram em 26 estados e no Distrito Federal.

Na nota, o presidente mencionou as manifestações e destacou que elas ocorreram livremente em todo o país. "Houve a mais ampla garantia ao direito de expressão, mesmo nas menores aglomerações", afirmou. Ele considerou "lamentáveis" os atos de violência, como os ocorridos no Rio de Janeiro, onde manifestantes e policiais iniciaram um confronto no final da tarde. "Infelizmente, pequenos grupos bloquearam rodovias e avenidas para impedir o direito de ir e vir do cidadão, que acabou impossibilitado de chegar ao seu local de trabalho ou de transitar livremente", afirmou.

Temer reafirmou ainda seu compromisso com a democracia e as instituições brasileiras. "De forma ordeira e obstinada, o trabalhador brasileiro luta intensamente nos últimos meses para superar a maior recessão econômica que o país já enfrentou em sua história. A esse esforço se somam todas as ações do governo, que acredita na força da unidade de nosso país para vencer a crise que herdamos e trazer o Brasil de volta aos trilhos do desenvolvimento social e do crescimento econômico", completou o presidente.

CN/ots

Leia mais