TEMAS ECONÔMICOS PREDOMINAM NA VISITA DE DILMA A CUBA | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 04.02.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

TEMAS ECONÔMICOS PREDOMINAM NA VISITA DE DILMA A CUBA

Visita de Dilma a Cuba, Alemanha rejeita proposta de mais ajuda financeira para a Grécia, universidades de arte na Alemanha, desabamentos no Rio e "Química Verde" foram os temas comentados esta semana.

Como diz o artigo, a visita de Dilma a Cuba é exclusivamente sobre assuntos econômicos. Agora, uma coisa que fere qualquer ser humano é se omitir quanto aos direitos humanos, coisa que não existe em Cuba. Veja o caso do dissidente que morreu na prisão em greve de fome. É o que acontece num país de governo comunista. Lembro aqui da blogueira que conseguiu visto do governo brasileiro para vir ao Brasil, porém encontra dificuldade em seu próprio país, ou seja, em Cuba, porque o governo comunista de lá a impede de viajar para cá. É uma vergonha, em pleno século 21, esse regime comunista que escraviza as pessoas. Quanto à nossa presidente Dilma, será que vai resistir em não dizer nem ao menos alguma coisa sobre os direitos humanos?
Mauricio Joffre da Silva

Humanamente falando Dilma teria obrigação de tocar no tema direitos humanos em sua visita a Cuba, pois ela própria sofreu as consequências de um governo autoritário. Mas, sob o ponto de vista da diplomacia, seria uma catástrofe para as relações entre os dois países. A primeira vez que você vai à casa de um amigo não cabe ficar fazendo criticas…
Sebastião Ribeiro.

ALEMANHA REJEITA PROPOSTA DE MAIS AJUDA FINANCEIRA PARA A GRÉCIA

A Grécia deverá receber mais dinheiro da UE caso corte da dívida seja insuficiente? Não, de forma alguma. Os políticos pseudodemocratas dos tempos modernos estão gerindo a coisa pública como se fossem de sua propriedade e sem a menor responsabilidade, e isso não ocorre só na UE, mas em todo o Ocidente, aumentando impostos dos que produzem e distribuindo tais recursos em obras desnecessárias e aumentando de forma desproporcional os salários de políticos e funcionários públicos, entre outras barbaridades.
Carlos Vieira Ferreira

Como parte substancial do comércio da Alemanha é realizado dentro da própria Europa, seria melhor, que a Alemanha aumentasse sua participação no Fundo Europeu de Resgate. Atrelado a isso, deveria ser implantada uma política fiscal rígida para os demais países. A Alemanha não pode esquecer que o euro teve como inspiração o marco alemão.
Welington Vieira Araújo

ALEMANHA TEM MAIS UNIVERSIDADES DE ARTE QUE QUALQUER OUTRO PAÍS

Muito bem citado Andy Warhol, hoje ainda o maior vendedor de arte do mundo, tendo superado Picasso, ambos já se foram, mas deixaram seus legados. A Arte Digital mostra o que Andy Wharol apenas imaginou, iniciou o processo, não sabia ele que um dia teríamos a computer painting (pintura por computador) de todas as áreas, incluindo as pictóricas clássicas e acadêmicas. A Escola Superior de Artes Gráficas e Editoriais foi considerada, no ano de 2008, a melhor do país nos cursos de pintura e artes gráficas, sem dúvida alguma, um exemplo de arte moderna ou contemporânea de fato, usando tecnologia.
O resultado está aí, colocando a Alemanha na vanguarda. Expus em Hannover e também no Museu do Louvre a pintura por computador OSTG (óleo sobre tela Giclee) e mais de 200 exposições individuais para um acervo de mais de 8 mil pinturas, entre as tradicionais e as digitais. Muito avanço na tecnologia, e tudo começou com artes gráficas, depois efeitos e filtros, hoje de fato o PICTÓRICO já se faz presente e veio para ficar, independente da opinião dos "ditadores das artes"!
Celito F. de Medeiros

DESABAMENTOS NO RIO – DÚVIDAS SOBRE SEGURANÇA DE CONSTRUÇÕES

De surpresa o noticiário anunciou o desabamento de três prédios no centro do Rio de Janeiro e um deles com 18 andares. Ouvindo esta noticia parece que o Rio de Janeiro segue seu caminho tortuoso e cortado de tragédia em tragédia. Não basta a devastação que as chuvas provocam na zona montanhosa do Rio, outros prédios já caíram, explosões de rede de gás acontecem com frequência. E este desabamento não leva mais vítimas porque aconteceu num horário fora de expediente e de ruas quase vazias.
Mas mesmo assim o susto foi grande. No levantamento das causas, começam aparecer reformas ilegais, feitas na calada da noite, paredes derrubadas, falta de permissão do Crea etc. Resta a pergunta: encontrarão um culpado disso tudo? Foi omissão de alguém? Daqui para frente tudo andará muito lento e nos próximos cinco anos ainda ouviremos noticias de que não apareceram os responsáveis. Isso tudo é lamentável e constrangedor para um país que receberá milhares de visitantes para a próxima Copa do Mundo de 2014.
Odalberto Domingos Casonatto

ESPECIALISTA DEFENDE A "QUÍMICA VERDE"

A indústria química é parte integrante de multinacionais, que têm seus interesses próprios, sendo estes bem distintos dos interesses das comunidades ou civilizações. Para os setores econômicos, de fato, o cuidado com o meio ambiente, a educação das pessoas e quaisquer prioridades sociais não se enquadram adequadamente na economia de mercado. E isso é verdade, especialmente quando o modelo econômico vigente se baseia no neoliberalismo.
Esse é um dos motivos que levaram os países asiáticos a preferirem um modelo econômico bem próximo ao que propunha List, e que a Alemanha conhece muito bem. Portanto, a qualidade e força da sociedade é que determinarão as relações homem x ambiente, ou como queira, economia x ambiente. Outro aspecto, é que o petróleo não é renovável e seu preço tem se elevado consistentemente no decorrer do tempo. Certamente, muitas outras soluções para o plástico de petróleo serão propostas. Terceiro ponto. Não se pode pensar no curtíssimo prazo nem em delimitar, com precisão, os espaços onde as coisas ocorrerão. Se a indústria química alemã não se interessar por projetos desse tipo, quem sabe a indústria chinesa, indiana ou francesa se interessem. Quarto ponto. Muito boa a parte do texto denominada "Uso de biomassa".
Eduardo Destéfani Guimarães Santos

Sim, é possível produzir muitos materiais a partir de biomassa, um exemplo é o PVC, que quase foi banido no mercado mundial e hoje pode ser produzido a partir de álcool, sal de cozinha, óleo de soja e estabilizantes de grão alimentar como zinco e cálcio, com uma vida útil (indústria automobilística) de dez anos como tapetes e revestimentos internos, com decomposição em 50 anos, além de ser reciclável com aditivação de seus plastificantes. Essa tecnologia já esta disponível, só falta boa vontade, os custos não passam de 20% porque são produzidos em pequena escala. Toda a tecnologia foi desenvolvida por empresas europeias.
Kessler Juns

Leia mais