1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Televisão alemã em ritmo digital

Dois anos após a sua estréia na Alemanha, a Televisão Digital Terrestre (DVB-T) já está presente em nove milhões de domicílios e não pára de crescer.

default

A IFA 2005 termina sob o signo da TV digital

A introdução da TV digital na Alemanha é uma história de sucesso. Somente em 2004, foram vendidos cerca de 1,4 milhão de decodificadores, as caixinhas que permitem a recepção digital nos aparelhos analógicos, também chamadas de set-top-box. A Feira Internacional de Eletrônica de Consumo (IFA) mostrou em 2005 mais uma novidade na área: a TV digital em celulares e outros aparelhos móveis.

No final deste ano, a televisão alemã festeja seu 70º aniversário e espera-se que até lá nada menos do que a metade dos domicílios alemães estará conectada à TV digital através das set-top-boxes, cujo preço varia hoje entre 70 e 250 euros.

Televisão digital não quer dizer somente uma melhor qualidade de som e imagem e uma maior quantidade de canais de televisão, mas também significa interatividade. Afinal, a set-top-box permite uma conexão sem fio entre a televisão e o computador para arquivos com fotos, som e filmes.

Entretanto, o redator da revista especializada em computação c't, Sven Hansen, nos lembra que a mera captação de sinal digital não significa necessariamente uma melhor qualidade de imagem, mas sim a fórmula imagem transmitida = imagem recebida. Por mais que sumam as ranhuras causadas pela transmissão analógica tradicional, a imagem digital vem comprimida, o que não a faz favorável para transmissão em grandes telas.

Os padrões digitais

IFA 2005 Internationale Funkausstellung Samsung

Mini-TV digital na IFA

Existem hoje três padrões de TV digital no mundo. O sistema americano, chamado de ATSC ( Advanced Television System Comitee), o japonês ou ISDB-T ( Integrated Services Digital Broadcasting) e o europeu, denominado de DVB-T ( Digital Video Broadcasting). O "T", de terrestre, é para diferenciar do DVB-C, por cabo, e o DVB-S, por satélite.

O sistema americano nunca emplacou direito nos Estados Unidos, onde os canais de televisão digital ainda têm prejuízo. E o japonês está sendo introduzido paulatinamente e ainda é cedo para se fazer considerações.

No caso da Europa, a TV digital veio para substituir os padrões analógicos existentes, como o PAL, originalmente desenvolvido na Alemanha e usado hoje pela maioria dos países europeus, e o padrão francês Secam, também presente em alguns países do Leste da Europa.

Mas, apesar do enorme sucesso na Alemanha, a "cota digital" alemã ainda está bem atrás da britânica, que é de 60%. Se depender do desejo da União Européia, a TV analógica vai parar de existir na Europa por completo em 2012. Itália, Finlândia e Suécia já querem atingir está meta até 2008.

O dilema brasileiro

Fernbedienung eines Fernsehapparates

TV digital: interatividade por controle remoto

Após o congelamento das verbas destinadas à implantação do SBTVD (Sistema Brasileiro de TV Digital) , o Brasil se vê agora em uma situação semelhante à do início dos anos 70, quando teve de escolher um padrão para a TV em cores. Na época, o Brasil optou pelo sistema alemão, o PAL, e adaptando-o à realidade brasileira, nasceu o PAL-M.

O ministro brasileiro das Comunicações, Hélio Costa, afirmou, ao anunciar o congelamento das verbas neste final de julho em Campinas, que "os padrões de TV digital já existem e que não precisamos reinventar a roda", optando pela adaptação da tecnologia existente.

Este foi o caso da Austrália, que, após ter investido uma fortuna no desenvolvimento de um padrão próprio, desistiu e resolveu adotar o europeu.

Leia mais