1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Taxa de desemprego tem maior queda desde reunificação alemã

O número de pessoas desempregadas na Alemanha diminuiu 255 mil em maio na comparação com abril, passando para 4,535 milhões. A queda é a maior desde a reunificação do país, em 1990.

default

Oferta de posto de trabalho pela economia alemã voltou a subir em maio

Em relação ao mês anterior, a taxa de desemprego de maio recuou 0,7 ponto percentual, para 10,8%. Na comparação com maio do ano passado, o número de desempregados caiu 349 mil, recuo de 1 ponto percentual. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (31/05) pela Agência Federal do Trabalho, em Nurembergue.

O número de pessoas empregadas na Alemanha chegou a 38,5 milhões em abril. É a primeira vez neste ano que o total de ocupados supera o do ano passado. Economistas alemães previam que o mercado de trabalho fosse se recuperar em maio, mas não com essa intensidade.

Oeste e Leste

"O número de desempregados diminuiu muito e de forma surpreendente, a procura por mão-de-obra voltou a subir e o fechamento de postos de trabalho continua diminuindo", disse o presidente da Agência Federal do Trabalho, Frank-Jürgen Weise.

Segundo os números oficiais, 3,046 milhões de pessoas estavam sem ocupação nos Estados do Oeste da Alemanha. São 155 mil menos desempregados do que em abril e 196 mil menos do que há um ano. A taxa de desemprego na região foi de 9,2%.

No Leste, havia 1,49 milhões de desempregados, queda de 100 mil em comparação com abril e de 153 mil em relação a maio de 2005. A taxa de desemprego de maio nessa região foi de 17,4%.

Reformas

As boas notícias sobre o desemprego na Alemanha foram divulgadas no mesmo dia em que os partidos da grande coalizão, CDU/CSU e SPD, chegaram a um consenso sobre as alterações na Hartz IV, a reforma do mercado de trabalho alemão em vigor desde julho de 2004.

A principal mudança atinge aqueles que estão desempregados há mais tempo e rejeitarem mais de uma vez ofertas de emprego. O governo quer tornar mais rígido o controle sobre essas pessoas e fazer cortes no auxílio-desemprego cada vez que uma oferta for rejeitada. Quem recusar uma oportunidade de trabalho por três vezes pode ficar sem auxílio.

Com as alterações na reforma, o governo espera economizar cerca de 1,5 bilhão de euros por ano. As mudanças na legislação devem ser aprovadas nesta quinta-feira no Bundestag, a câmara baixa do Parlamento alemão.

Leia mais