1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Talibã estabelece condições para conversas de paz

Grupo radical islâmico faz exigências para participar de conversações para acabar com conflitos no Afeganistão. Entre eles está a remoção dos nomes de combatentes das listas negras do terrorismo internacional.

Os extremistas islâmicos talibãs do Afeganistão disseram neste domingo (24/01) que uma lista de pré-condições deve ser atendida para que o grupo radical participe formalmente das negociações de paz com vista a pôr um fim a 15 anos de conflitos no país asiático, após a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2001.

As exigências incluem a libertação de presos políticos, a sua remoção das listas negras do terrorismo internacional e a abertura de um "escritório político" no Catar.

"Antes de quaisquer conversações oficiais, queremos que os nomes de nossos mujahideens [combatentes islâmicos] sejam removidos das listas negras dos EUA e das Nações Unidas, e que todas as recompensas por suas cabeças sejam canceladas", afirmou o porta-voz dos talibãs, Zabiullah Mujahid, durante conferência no Catar.

"Também queremos que o escritório político em Doha seja reaberto", acrescentou o porta-voz.

Organizada pelas Conferências Pugwash sobre Ciência e Assuntos Mundiais, um grupo de gestão de crises vencedor do Prêmio Nobel da Paz, a reunião no Catar tem como objetivo instar as partes conflitantes a finalizar o conflito no Afeganistão. A conferência marca uma rara interação direta entre representantes dos insurgentes radicais islâmicos e parlamentares afegãos.

Processo de paz

Nesta segunda-feira, delegados do Afeganistão, Paquistão, China e EUA se encontram em Cabul para uma segunda reunião destinada a fortalecer o processo de paz.

O esforço para lançar formalmente esse processo vem em meio a uma violenta campanha iniciada pelos talibãs, que conseguiram avanços significativos na província de Helmand.

No início desta semana, os combatentes talibãs atacaram funcionários da emissora de notícias Tolo – parceira de mídia da Deutsche Welle no país – matando sete pessoas por meio de um ataque suicida de um homem-bomba, que investiu contra o carro onde se encontravam os funcionários.

CA/rtr/afp/ap/dw

Leia mais