Técnico Joachim Löw corta volante Torsten Frings da seleção alemã | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 20.01.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Técnico Joachim Löw corta volante Torsten Frings da seleção alemã

Löw comunica ao capitão do Werder Bremen que não vai convocá-lo para a Copa 2010, o que significa o fim da carreira do jogador na seleção alemã. Justificativa é abrir espaço para a nova geração.

default

Frings e Löw: divergências

O volante Torsten Frings, de 33 anos, não deverá mais jogar pela seleção alemã. Nesta quarta-feira (21/01), o técnico Joachim Löw e o assistente Hansi Flick viajaram a Bremen para comunicar ao jogador a decisão de cortá-lo da equipe que disputará a Copa 2010, na África do Sul.

"Esse passo não é de todo surpreendente. Eu deveria contar com isso, se analisarmos os sinais anteriores. Não me resta alternativa a não ser aceitar a decisão, mesmo que a minha opinião seja totalmente diferente da de Joachim Löw", declarou Frings.

Löw justificou a decisão afirmando que pretende abrir espaço para jogadores da nova geração. "Temos em nosso plantel ampliado muitos jovens jogadores que cumprem nossas exigências e que têm perspectivas muito boas para além da Copa 2010. Queremos avançar esses jogadores a um nível internacional de ponta porque estamos convencidos do seu potencial e porque somos responsáveis pelo seu desenvolvimento", disse o técnico.

Frings, que é capitão do Werder Bremen, considerou a decisão errada e disse ainda ter potencial para jogar mais uma Copa do Mundo. "E vou continuar provando isso na Bundesliga", afirmou.

Antes de cortar Frings em definitivo, Löw já havia externado dúvidas sobre a condição física do jogador para disputar uma Copa do Mundo. A última partida do capitão do Bremen pela seleção alemã foi em fevereiro de 2009, na derrota de 1 a 0 para a Noruega.

De lá para cá, ele não foi mais convocado. Frings disse várias vezes que estava sendo deixado de lado pelo técnico não apenas por motivos esportivos.

Em outubro de 2008, Frings havia criticado publicamente o treinador por não fazer parte da equipe titular nas partidas contra a Rússia e o País de Gales.

AS/sid/dpa
Revisão: Augusto Valente

Leia mais