Técnico da Seleção Alemã luta por Scholl | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 22.04.2002
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Técnico da Seleção Alemã luta por Scholl

Com essa Rudi Völler não contava: Mehmet Scholl anunciou que não pretende jogar pela Seleção Alemã na Copa do Mundo.

default

O técnico Rudi Völler quer a presença de Scholl na Seleção Alemã

"Nós precisamos dele, eu preciso dele para que o selecionado consiga jogar bem no mundial", reagiu o técnico da Seleção Alemã, Rudi Völler, nesta segunda-feira (22), ao ser avisado de que o craque do Bayern de Munique, Mehmet Scholl, desistiu de ir para o Japão.

Scholl, que este ano ficou afastado do futebol por diversas vezes devido a problemas de saúde, anunciou que a decisão de não jogar na Copa foi tomada sem qualquer influência.

Após o choque inicial, o técnico da seleção garantiu que não pretende pressionar o jogador de 31 anos, embora seu discurso seja quase desesperador. "Eu vou conversar com Mehmet e lhe dizer que ainda temos tempo e não precisamos tomar agora uma decisão precipitada."

Jogador essencial - Pelo visto, Mehmet Scholl se tornou um jogador essencial para a Seleção Alemã. Afinal, não é só Völler que ficou abalado com a desistência e está empenhado em fazer o craque mudar de idéia.

O presidente da Federação Alemã de Futebol, Gerhard Mayer-Vorfelder, e o presidente do Bayern de Munique, Franz Beckenbauer, também parecem acreditar que o selecionado só terá chances no mundial com a participação de Scholl.

"Um jogador com este potencial, potencial aliás reconhecido por todos, precisa atuar no mundial. Sua participação é extremamente importante para o futebol alemão", frisou Beckenbauer, que também está disposto a bater um papinho com o craque.

Má fase - Scholl não quer jogar na seleção porque acha que não está em condição física para suportar o campeonato. Após enfrentar diversos problemas, como contusões e uma hérnia de disco, que o obrigaram a ficar afastado dos treinos, Scholl frisou que "vocês não sabem como eu realmente me sinto".

Contra vontade - "Ele está frustrado porque as coisas não estão correndo bem", disse Völler, revelando ainda que no último sábado Scholl entrou em campo contra a vontade: "Ele jogou embora não quisesse jogar. Mas como Effenberg teve problemas, não sobrou outra alternativa". Effenberg havia sido suspenso e Scholl precisou preencher sua vaga.

O meio de campo do Bayern de Munique fez uma autocrítica de sua atuação no jogo contra o Hertha: "Eu me senti como um carro que fica na garagem por três anos: demora para pegar e aquecer".