1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Surto gastrointestinal atinge mais de 8 mil crianças e adolescentes na Alemanha

Para o Instituto Robert Koch em Berlim, este é "o maior surto de origem alimentar já registrado na Alemanha". Suspeitas recaem sobre empresa que forneceu comida a todas as escolas atingidas.

Mais de 8 mil crianças e adolescentes alemães foram contaminados por um vírus que causa problemas gastrointestinais. O problema surgiu após a ingestão de alimentos contaminados. Neste sábado (29/9), o Instituto Robert Koch em Berlim anunciou haver 8365 casos confirmados do que seria "o maior surto de origem alimentar já registrado na Alemanha". Nunca antes tantas pessoas ficaram doentes ao mesmo tempo devido à ingestão de comida contaminada, segundo o Instituto.

Os casos aconteceram em 342 instituições de ensino e se concentram no leste da Alemanha: em Berlim e nos estados de Brandemburgo, Saxônia, Saxônia-Anhalt e Turíngia, algumas escolas foram fechadas como medida preventiva.

Segundo as autoridades sanitárias, é "praticamente certo" que se trate de uma infecção devido a alimentos contaminados. Para identificar a origem da contaminação, estão sendo investigadas provas da comida, os caminhos percorridos e as próprias cozinhas. O fornecedor das cantinas escolares e de jardins de infância atingidas é a empresa Sodexo.

Pior já passou

A secretária de Saúde de Berlim, Emine Demirbüken-Wegner, disse que os resultados dos exames de laboratório devem sair apenas a partir desta segunda-feira. A maioria dos casos transcorreu sem complicações. Poucos pacientes tiveram de ser hospitalizados. Os casos começaram a ser registrados na terça-feira (25/9) e as autoridades acreditam que a pior fase já esteja superada.

A Sodexo, fundada em 1966 em Marselha, está presente hoje em 80 países. Ela iniciou suas atividades na Alemanha em 1977. Um porta-voz da empresa adiantou que seus próprios funcionários e especialistas procuram identificar a origem da contaminação. Os resultados dos testes de laboratório devem sair na próxima semana.

RW/lusa/rtd/dpa
Revisão: Soraia Vilela

Leia mais