Superevento quer fazer de Berlim capital da nova indústria fonográfica | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 09.09.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Superevento quer fazer de Berlim capital da nova indústria fonográfica

Em seu segundo ano, a Berlin Music Week quer, além de mostrar que a cidade tem uma cena musical e noturna como nenhuma outra no mundo, estabelecer Berlim como a capital da nova indústria da música.

Übersicht der Eingangshalle des Flughafen Tempelhof am Mittwoch (07.09.2011) in Berlin. Auf der Musikmesse Popkomm dreht sich hier vom 07.09.2011 bis zum 09.09.2011 alles um das Thema Musik. Mehr als 400 Aussteller aus 21 Ländern sind dabei. Im Mittelpunkt des Branchentreffs steht das digitale Geschäft. Foto: Britta Pedersen dpa/lbn +++(c) dpa - Bildfunk+++

Tempelhof é o palco da Berlin Music Week

Com a popularização do CD nos anos 90 e a globalização cada vez maior na área da cultura, num passado não muito distante, as grandes gravadoras pareciam tudo poder: milhões eram gastos com novos artistas, publicidade e videoclipes, mas bilhões eram arrecadados.

Uma década depois da popularização do CD, foi a vez da internet. E com a rapidez com que hoje surgem "personalidades da mídia", a indústria fonográfica desmoronou. O disco ou CD como suporte físico de comercialização da música quase desapareceu e a pirataria virou lugar-comum na internet. Porém nunca se ouviu e produziu tanta música.
 
Música hoje em dia não é só mais disco, e a indústria está tentando achar seu novo lugar. Berlim é chamada exaustivamente de cidade criativa e está usando essa criatividade para se tornar também a cidade da música.
 
Em seu segundo ano, a Berlin Music Week quer, além de mostrar que a cidade tem uma cena musical e noturna como nenhuma outra no mundo, estabelecer Berlim como a capital da nova indústria da música, onde o valor não está apenas na venda monopolizada de CDs, mas no networking e nas possibilidades de negócios que a música pode gerar hoje.
 
O evento não é só voltado para profissionais da indústria. Berlim está em festa. Uma maratona de shows, conferências, filmes e exposições com centenas de artistas do mundo todo está acontecendo por toda a cidade. De novidades como a dinamarquesa Oh Land a superestrelas como o DJ Tiësto, o mundo está se apresentando e se divertindo em Berlim.
 
Novos tempos
 
Um dos principais eventos da Berlin Music Week é a Popkomm. A maior feira de música da Alemanha teve que se adaptar para sobreviver e enxergar todas as possibilidades econômicas e políticas que envolvem o mundo da música.
 
Com 400 expositores de 21 países, a Popkomm voltou a acontecer na cidade como parte da Berlin Music Week. O evento não ocorreu por alguns anos devido à crise na indústria e voltou focado em todos os tipos de negócios relacionados a essa nova realidade. "Estamos vivendo um novo tempo na música. Hoje não é só o produto em si, mas merchandising e como administrar as necessidades do público", declarou na abertura do evento Holger Weiss, CEO da Aupeu, emissora de rádio virtual baseada em Berlim.
 
As empresas de internet relacionadas à música também são o grande destaque na cidade. Weiss disse que o clima informal e o grande número de jovens profissionais ajudam nesse crescimento. A estrela das novas empresas de internet que crescem com uma velocidade impressionante em Berlim é a SoundCloud. A plataforma de música online já chegou a 5 milhões de usuários em menos de três anos de existência e possibilita não só a distribuição de música na internet, mas também é uma ferramenta para promoção, colaboração entre artistas e contato com o público.
 
Muita música
 
O carro-chefe da Berlin Music Week é o Berlin Festival. Criado em 2005 pelo promoter Conny Opper, um dos mais ativos na cena noturna da cidade, o evento se associou aos organizadores do Melt! Festival quando passou a acontecer em maior escala no antigo Aeroporto de Tempelhof, que vem se tornando o espaço dos grandes eventos relacionados à indústria criativa em Berlim.
 
Na edição deste ano, o festival traz nomes como Suede, Primal Scream, Public Enemy, Beirut, Mogwai e os brasileiros do Cansei de Ser Sexy. Para quem quer festejar a noite toda, o festival se muda depois da meia-noite para o clube Arena, com grandes nomes da música eletrônica tocando até o amanhecer. No mesmo clima de maratona, a Berlin Clubnacht reúne em dois dias 300 artistas em 200 pistas de dança de 62 clubes espalhados pela cidade por um preço único.
 
Diversão para os fãs de música, oportunidade para novos artistas e soluções criativas para a indústria fonográfica são os caminhos que a Berlin Music Week pretende apontar e consolidar como uma cidade que sabe usar a criatividade em seu próprio benefício.
 
Autor: Marco Sanchez
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais