1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Sucesso das frutas "aus Brasilien"

Frutas e cítricos brasileiros expandem-se no mercado internacional. Dez firmas brasileiras fecharam bons negócios na Semana Verde de Berlim.

default

Frutas do Brasil tendem a conquistar mais espaço nos mercados internacionais

Mais de 800 expositores, oriundos de 45 países, estiveram presentes na seção Fruit Logistica (especializada no comércio de frutas e legumes) da tradicional feira Semana Verde de Berlim, que neste ano se realizou pela 68ª vez.

O Brasil esteve representado na capital alemã por dez firmas, coordenadas pelo Instituto Brasileiro de Frutas (IBRAF), instituição privada sediada em São Paulo, que trouxe a Berlim um catálogo de 30 frutas e legumes brasileiros exportáveis, especialmente papaia, manga, melão, limão, maçã e laranja. Mas o importador —alemão e de outros países — pôde também ficar sabendo da qualidade do abacaxi, figo, banana-prata, melancia, tamarindo e até mesmo açaí, cupuaçu, inhame e mandioca como também graviola vindos do Brasil.

Para Vanessa de Oliveira, secretária executiva do IBRAF, "a Semana Verde/Fruit Logistica é o maior e melhor evento internacional do gênero. Pela sua perfeita organização, pontualidade, número de participantes, volume e abrangência de ofertas e localização no miolo do continente europeu". Oliveira ressalta também o eficiente trabalho que é realizado antes e depois da realização da feira: "Graças a um excelente serviço — o virtual marketing —, os participantes podem, através de um site na internet, oferecer antecipadamente os seus produtos, saber quem virá para o evento, e isto já um ano antes e depois da realização da feira. Algo inédito em todos os eventos deste gênero que eu conheço".

Bons negócios...

Waldir Sérgio Promícia, diretor de vendas e exportações da Itacitrus, sediada em Itaici, em São Paulo, esteve participando pela segunda vez nesta feira e deixa Berlim satisfeito com o milhão de caixas de limão que pôde vender neste ano — com uma previsão de 1.300.000 a 1.500.000 de caixas para o próximo ano — e com os excelentes contatos feitos pela primeira vez com a Suíça e os que foram reforçados com a França e o Reino Unido.

"Valeu realmente a pena ter vindo a Berlim", salienta Promícia. "Consolidamos parcerias que tínhamos, temos um fornecimento garantido para o ano inteiro e pudemos tomar conhecimento de novas tecnologias sofisticadas."

Satisfeito com o evento berlinense esteve também Paulo de Mello Gonçalves, diretor de vendas da Fruit Fischer, que trouxe a Berlim maçãs e laranjas: "Pude vender 400 mil caixas de maçãs, movimentar perto de cinco milhões de dólares e contatar diretamente, pela primeira vez, importadores do Leste Europeu e do Oriente Médio. Voltarei no próximo ano com mais conhecimento de base ainda".

... e ótimas perspectivas

A secretária do IBRAF, Vanessa de Oliveira, também pretende voltar com mais força ainda no ano que vem. "Isto porque cada uma das firmas brasileiras presentes em Berlim neste ano pôde realizar de 25 a 35 contatos comerciais, e mais ainda, nós, brasileiros, fomos convidados para ser o carro-chefe, ser o slogan da feira de 2004, onde haverá uma coletiva de imprensa para, pelo menos, 70 jornalistas de todo o mundo. A ampliação da nossa presença no próximo ano é realmente motivo para grande satisfação."

Leia mais