1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Suécia reconhece Estado da Palestina

Governo sueco considera que se cumprem critérios para o reconhecimento: "Há território, população e governo". Autoridade Palestina saúda decisão, Israel critica.

O governo sueco reconheceu oficialmente nesta quinta-feira (30/10) o Estado da Palestina. "Com o nosso reconhecimento queremos sobretudo dar nosso apoio às forças moderadas palestinas", escreveu ministra do Exterior, Margot Wallstrom, no jornal Dagens Nyheter.

A Suécia considera que se cumprem os critérios do Direito Internacional para reconhecer um Estado palestino, destaca a ministra. "Há um território, uma população e um governo", afirmou.

O novo governo sueco havia anunciado já em 3 de outubro que tomaria a decisão, o que resultou em críticas de Israel e dos Estados Unidos. Entre os membros da União Europeia (UE), a Suécia é o primeiro grande país da Europa Ocidental a reconhecer o Estado palestino.

Outros sete países da UE – Bulgária, Chipre, República Tcheca, Hungria, Malta, Polônia e Romênia – também reconheceram o Estado da Palestina.

Wallstrom escreve no Dagens Nyheter que a "Suécia já reconheceu antes outros Estados, como a Croácia, em 1992, e o Kosovo, em 2008, apesar da ausência de controle sobre algumas partes de seu território. E, como eles, a Palestina é um caso especial", afirmou a ministra.

O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, saudou a decisão, chamando-a de corajosa e histórica. "Todos os países do mundo que ainda hesitam em reconhecer nosso direito a um Estado palestino dentro das fronteiras de 1967, com Jerusalém Oriental como capital, deveriam seguir o exemplo da Suécia", afirmou.

Já o ministro do Exterior de Israel, Avigdor Lieberman, disse que a decisão é deplorável e que ela apenas fortalece "elementos extremistas".

AS/dpa/afp/ap

Leia mais