Steinmeier vai ao Brasil preparar visita de Merkel | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 12.02.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Steinmeier vai ao Brasil preparar visita de Merkel

Um dos objetivos do ministro alemão é organizar viagem da chanceler federal em agosto, que marcará início das Consultas Intergovernamentais de Alto Nível, mecanismo que Berlim sustenta com poucos países.

O ministro do Exterior alemão, Frank-Walter Steinmeier, inicia nesta sexta-feira (13/02), no Brasil, uma viagem sul-americana que o levará também ao Peru e à Colômbia. Ele estará acompanhado de uma grande delegação econômica e representantes dos setores de cultura e ciência.

A viagem estava programada para começar na quarta-feira, mas foi adiada devido às longas negociações em Minsk em torno do conflito da Ucrânia, que também envolveram o ministro alemão.

A ida de Steinmeier servirá para preparar a visita ao Brasil da chanceler federal alemã, Angela Merkel, prevista para ocorrer entre 19 e 21 de agosto. "Para a Alemanha, a América Latina é uma região com grande potencial", disse Steinmeier.

Consultas Intergovernamentais

Em Brasília, Steinmeier fará nesta sexta-feira uma visita de cortesia à presidente Dilma Rousseff e logo depois terá encontro de trabalho com o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Mauro Vieira.

O principal objetivo do ministro alemão é iniciar a preparação da primeira edição das Consultas Intergovernamentais de Alto Nível Brasil-Alemanha. O mecanismo deverá ser inaugurado em agosto próximo, em Brasília, sob a copresidência de Dilma e Merkel. A Alemanha mantém esse tipo de encontro de alto nível com poucos países, como EUA e China.

Dilma Rousseff Angela Merkel Treffen Brasilien

Durante Copa do Mundo do Brasil, em junho, Dilma recebeu Merkel em Brasília

Os ministros Mauro Vieira e Frank-Walter Steinmeier deverão analisar os principais temas da agenda bilateral, inclusive comércio e investimentos, cooperação em ciência, tecnologia e inovação e em educação.

Eles deverão discutir, também, a reforma das instituições de governança global, temas da agenda de paz e segurança internacionais, assim como tópicos relacionados à privacidade na era digital.

Após denúncias de que os EUA espionaram líderes mundiais, entre eles Dilma e Merkel, Brasil e Alemanha se uniram na ONU e elaboraram uma resolução para garantir a segurança de dados e o direito à privacidade na internet, aprovada em dezembro de 2013.

Segundo o Itamaraty, a Alemanha é o principal parceiro comercial do Brasil na Europa – e o quarto no mundo. Em 2014, o intercâmbio comercial bilateral atingiu 20,4 bilhões de dólares.

Leia mais