1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Steinmeier e Kerry apontam obstáculos em negociações com Irã

Apesar de reconhecer avanços nas conversações sobre programa nuclear, ministro alemão do Exterior destaca persistência de entraves. Secretário de Estado americano afirma que Teerã precisa fazer "escolhas fundamentais".

Após encontro em Washington na noite desta quarta-feira (11/03), o secretário americano de Estado, John Kerry, e o ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier ressaltaram a importância das negociações em curso com o Irã sobre o programa nuclear do país.

O chefe da diplomacia alemã destacou que houve avanços na última rodada de negociações com o governo em Teerã. "Mas nós [Steinmeier e Kerry] acreditamos que nem todos os obstáculos foram superados. O Irã precisa mostrar ação", disse Steinmeier, no primeiro dos três dias de viagem aos EUA.

Segundo Kerry, o Irã precisa fazer "escolhas fundamentais", para provar ao mundo que "não está no caminho da construção de armas nucleares, e para que o mundo possa estar seguro sobre em quais atividades o país está envolvido".

Líderes ocidentais acusam o governo iraniano de, há mais de uma década, desenvolver armas nucleares sob o pretexto de um programa nuclear civil. Teerã nega a intenção.

Na próxima segunda-feira, o ministro iraniano do Exterior, Mohammad Javad Zarif, participará em Bruxelas de um encontro com Steinmeier, Kerry e os ministros do Exterior da França, Reino Unido, Rússia e China em mais uma tentativa de se chegar a um acordo até o fim de março. Países ocidentais estão dispostos a afrouxar as sanções impostas ao Irã caso se chegue a um acordo.

Apelo à paz na Ucrânia

Steimeier e Kerry também pediram às partes envolvidas no conflito da Ucrânia que honrassem os termos do recente acordo de cessar-fogo. A trégua entre as tropas de Kiev e separatistas pró-Rússia foi acertada no mês passado em Minsk, em negociações intermediadas pelos chefes de governo da Alemanha, França e Rússia.

"Não estamos felizes ou satisfeitos com o que conseguimos alcançar até agora. Longe disso. Temos que manter a pressão sobre as partes envolvidas no conflito", afirmou Steinmeier.

O ministro alemão disse ter conversado com o homólogo russo Serguei Lavrov, por telefone, a caminho de Washington. Steinmeier disse ter apelado mais uma vez para que Moscou, acusado pelo Ocidente de intervir no conflito no país vizinho, ajude a fazer com que as "violações diárias do cessar-fogo cheguem ao fim".

MSB/dpa/rtr

Leia mais