1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Steinmeier diz que eleições na Ucrânia são cruciais para solucionar crise

Durante encontro com premiê ucraniano em Kiev, ministro alemão ressaltou apoio a diálogo entre governo e separatistas. Objetivo da visita ao país seria abrir caminho para rodada de conversas proposta pela OSCE.

Em visita à Ucrânia, o ministro do Exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, afirmou nesta terça-feira (13/05) que as eleições presidenciais ucranianas, marcadas para 25 de maio, são "cruciais" para uma solução política para a pior crise diplomática entre Ocidente e Moscou desde a Guerra Fria.

"Espero que as eleições ocorram e que consigam produzir uma atmosfera voltada para o futuro", disse Steinmeier durante uma reunião com o primeiro-ministro ucraniano, Arseniy Yatsenyuk, em Kiev.

O ministro alemão ressaltou também o apoio de Berlim ao diálogo entre o governo central da Ucrânia e as regiões separatistas e pediu que reféns fossem libertados e que os prédios governamentais tomados pelos rebeldes fossem desocupados.

Yatsenyuk, no entanto, reiterou que o presidente russo, Vladimir Putin, é o principal responsável pela instabilidade na Ucrânia. "A chave para uma estabilização está em Moscou, e não em Kiev."

A viagem de Steinmeier tem como objetivo ser o início da implementação de uma estratégia traçada pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) para solucionar a crise. O plano da entidade, apresentado nesta segunda-feira, exorta todas as partes envolvidas a abster-se de violência, além de prever conversas sobre descentralização e o status do idioma russo.

A proposta da OSCE consiste numa rodada de conversas na Ucrânia, com a presença de representantes das diferentes forças políticas envolvidas. O governo ucraniano concordou em participar das conversas, mas ainda não nomeou um moderador do país, que conduziria as conversas ao lado do diplomata alemão Wolfgang Ischinger. A Rússia também saudou a iniciativa, mas os separatistas ainda não confirmaram presença nas conversas.

Durante a passagem pela Ucrânia, Steinmeier também deve se reunir com o presidente interino Oleksandr Turchynov. Além de Kiev, o ministro alemão ainda visitará Odessa, no sul do país, onde confrontos entre partidários do governo e separatistas mataram cerca de 50 pessoas na semana passada.

A crise na Ucrânia está deixando o país à beira da falência. Ainda nesta terça-feira, o premiê ucraniano e membros do seu gabinete eram aguardados em Bruxelas para discutir uma ajuda financeira da União Europeia.

RM/afp/ap/dpa/rtr

Leia mais