1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Bélgica

Soldados "neutralizam" suspeito após explosão na estação central de Bruxelas

Suspeito que estaria usando cinto com explosivos morre no local. Caso é investigado como atentado terrorista. Polícia afirma que situação está sob controle.

Perímetro de segurança foi estabelecido em torno da estação de trens

Perímetro de segurança foi estabelecido em torno da estação de trens

Militares belgas que faziam o patrulhamento da estação central de Bruxelas alvejaram uma pessoa depois de uma pequena explosão dentro da estação, nesta terça-feira (20/06). O caso está sendo investigado pelas autoridades como atentado terrorista. O suspeito morreu no local.

De acordo com a polícia, uma pessoa que estaria usando um cinto com explosivos foi "neutralizada" por militares que estavam na estação. Ninguém mais ficou ferido no incidente, e a estação foi evacuada.

O suspeito não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Segundo a porta-voz da Procuradoria de Bruxelas, Ine Van Wymersch, os médicos não puderam atendê-lo durante algumas horas com medo de que ele estivesse carregando explosivos. O atendimento só ocorreu depois que o esquadrão antibombas terminou seu trabalho.

Wymersch disse ainda que os danos causados pela detonação, de baixa intensidade, foram limitados. A explosão não deixou feridos.

A identidade do suspeito não foi revelada. O homem com idade entre os 30 e os 35 anos teria explodido uma mala, na sobreloja da estação, por volta das 20h30. Segundo testemunhas, o suspeito teria gritado "Allahu Akbar" (Deus é grande, em árabe), antes de causar a detonação.

A praça Grand Place, localizada a cerca de 200 metros da estação central, também foi evacuada. O local é um dos principais pontos turísticos da cidade. As forças de segurança belgas estabeleceram ainda um perímetro de segurança em torno da estação de trens.

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, e o ministro do Interior, Jan Jambon, seguem de perto a situação e estabeleceram um centro de crise, indicou o porta-voz do premiê, Frédéric Cauderlier. O Ministério Público confirmou que trata o incidente como um "atentado terrorista".

A Bélgica está em alerta máximo desde que atentados suicidas mataram 32 pessoas no metrô de Bruxelas e no aeroporto da cidade no dia 22 de março do ano passado.

CN/rtr/afp/ap

Leia mais