1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Socialista Martin Schulz é reeleito presidente do Parlamento Europeu

Eurodeputado alemão é o primeiro a liderar Parlamento Europeu por dois mandatos. Schulz foi eleito na primeira votação, por ampla maioria.

O socialista alemão Martin Schulz, de 58 anos, foi reeleito presidente do Parlamento Europeu, para um mandato de dois anos e meio, nesta terça-feira (01/07), em Estrasburgo, no primeiro dia da sessão plenária desta legislatura após as eleições europeias do dia 25 de maio.

Schulz foi eleito na primeira votação, com 409 dos 612 votos concedidos, de um total de 751 deputados. Os deputados escolhem o novo presidente através de voto secreto e por maioria simples.

"É uma grande honra ter uma nova oportunidade de liderar o Parlamento Europeu e trabalhar para os cidadãos da Europa na tentativa de tornar suas vidas melhores", declarou Schulz através de sua conta no Twitter. O político alemão foi eleito eurodeputado em 1994 e ocupa o cargo de presidente do Parlamento Europeu desde 2012.

É a primeira vez que um presidente do Parlamento Europeu é reeleito. A reeleição é parte da divisão de cargos entre conservadores e socialistas, nesta ordem as duas maiores bancadas da casa. Os socialistas apoiaram a indicação do conservador luxemburguês Jean-Claude Juncker para a presidência da Comissão Europeia.

O tradicional acordo entre conservadores e socialistas contempla a "divisão" da presidência do Parlamento Europeu, com um socialista ocupando o cargo durante dois anos e meio da legislatura, e um conservador no período seguinte.

Schulz e Juncker haviam sido, respectivamente, os nomes indicados por conservadores e socialistas para a presidência da Comissão Europeia, na condição de candidatos de ponta dos dois blocos nas eleições de 25 de maio, quando os conservadores elegeram a maior bancada.

A sessão foi marcada por um forte clima de euroceticismo. Na abertura, integrantes de partidos eurocéticos deram as costas para a bandeira da União Europeia durante a execução da Ode à alegria, de Beethoven, o hino do bloco.

IP/afp/lusa/dpa

Leia mais