Social-democrata alemão será o novo presidente do Parlamento Europeu | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 16.01.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Social-democrata alemão será o novo presidente do Parlamento Europeu

Na condição de novo presidente do Parlamento Europeu, o polêmico eurodeputado alemão Martin Schulz já disse que quer elevar a presença da instituição dentro da UE.

Schulz diz que vai a cúpula da UE mesmo sem ser convidado

Schulz diz que vai à cúpula da UE mesmo sem ser convidado

Nesta terça-feira (17/01) o eurodeputado alemão Martin Schulz, de 56 anos, será escolhido presidente do Parlamento Europeu. Atual líder da bancada social-democrata, ele se propõe a elevar o poder político do cargo durante seus dois anos e meio de mandato.

Schulz disse que não quer atuar como um mero representante do Parlamento Europeu. Para ele, o Parlamento precisa ser fortalecido diante de outras instituições da União Europeia (UE), como a Comissão Europeia e o Conselho Europeu, e dos chefes de Estado e de governo dos países-membros.

"O Parlamento Europeu é a única instituição do bloco cujos membros são escolhidos pelo voto direto. Disso eu deduzo uma ampla responsabilidade sobre a política na União Europeia – inclusive em áreas que os chefes de governo reclamam para si", declarou Schulz em entrevista publicada recentemente. Ele já anunciou que vai participar, mesmo se não for convidado, da próxima cúpula europeia, que reúne os chefes de Estado e de governo dos 27 países que compõem o bloco.

Sem papas na língua

O líder dos social-democratas é conhecido pelo seu gosto pelo debate político e pela sua excelente retórica. Seu jeito direto de se expressar faz com que seja um dos entrevistados preferidos da imprensa e, dada sua frequente presença na mídia, tornou-se conhecido de muitos cidadãos alemães.

Buzek cumpriu a primeira metade da legislatura

Buzek cumpriu a primeira metade da legislatura

Em 2003 ele passou a ser conhecido também em âmbito europeu, depois de criticar duramente a política interna do então primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi. Ofendido, Berlusconi disse que Schulz deveria atuar como guarda de campo de concentração num filme sobre o nazismo que estaria sendo rodado na Itália.

O ex-livreiro Martin Schulz já é dono de uma longa trajetória política: ele ingressou no Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) aos 19 anos de idade. Ao longo de uma década foi prefeito de Würselen, pequena cidade perto de Aachen. Em 1994 tornou-se eurodeputado, e desde 1999 é membro da direção do SPD. Em 2004 foi escolhido líder da bancada social-democrata no Parlamento Europeu. O cargo de presidente do Parlamento Europeu será o mais elevado de sua carreira política até o momento.

Escolha por acordo

Em 2009, as duas maiores bancadas do Parlamento Europeu – o Partido Popular Europeu e a Aliança Progressiva de Socialistas e Democratas – chegaram ao seguinte acordo sobre a escolha do novo presidente da instituição: durante a primeira metade da legislatura de cinco anos a presidência é ocupada pelo representante de uma bancada e, na outra metade, pelo outro grupo político.

Com isso, a eleição de Schulz para o cargo é dada como certa nesta terça-feira. Ele vai suceder o polonês Jerzy Buzek, da Aliança, que ocupa o cargo desde 2009. Schulz será presidente até 2014.

Autora: Rachel Gessat (msb)
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais